Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Eleições 2022
Publicidade

Justiça Eleitoral suspende vídeo de campanha com animais falantes

A peça publicitária do candidato ao Governo do Distrito Federal Leandro Grass (PV) abordava propostas relacionadas aos pets

Eleições 2022|Luiz Calcagno, do R7, em Brasília

TRE-DF proíbe propaganda de campanha com animais falantes
TRE-DF proíbe propaganda de campanha com animais falantes TRE-DF proíbe propaganda de campanha com animais falantes

O Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) suspendeu uma propaganda eleitoral do candidato ao Governo do DF Leandro Grass (PV) por conta do uso de bichinhos falantes feitos com ajuda de computação gráfica. Na peça, cachorros e gatos aparecem vestidos, descansando ou andando de skate enquanto pedem votos para o candidato da Federação PT-PV-PCdoB.

O governador e candidato à reeleição Ibaneis Rocha (MDB) foi quem acionou a Justiça. A decisão do juiz auxiliar do TRE-DF Demetrius Gomes Cavalcante teve como base a Lei Federal 9.504/1997 e a Resolução 23.610/2019 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que proíbem esse tipo de animação.

Leia também

Tanto a lei quanto a resolução vedam, especificamente, "montagens, trucagens, computação gráfica, desenhos animados e efeitos especiais". O magistrado explicou, na decisão, que isso ocorre para coibir "abuso de poder econômico", "pois como se bem sabe, as criações gráficas, animadas e repletas de efeitos especiais exigem trabalho qualificado e de alto custo, que nem todos os candidatos podem arcar", afirmou o magistrado.

"No caso, assistindo à propaganda, observa-se notórios efeitos de animação, montagens e computação gráfica, colocando cães para exercerem atividades dos seres racionais, como falar, malhar, usar o celular, andar de skate, dentre outros", disse Cavalcante.

Por meio de nota, a comunicação do candidato disse que "a propaganda não atacava ninguém, só mostrava a preocupação de Leandro Grass com os animais por meio de uma brincadeira com cães e gatos". A campanha afirmou que já cumpriu a decisão judicial.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.