Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Entrevista
Publicidade

Carolina Ferraz: 'Estou superfeliz no Domingo Espetacular. Eu não tenho intenção de voltar a fazer novelas'

Atriz e empresária assume de vez carreira de apresentadora, lança produtos com sua nova marca e revela o sonho do momento: 'Ter um programa próprio, para entrevistar e cozinhar do meu jeito'

Entrevista|Eduardo Marini, do R7

Antes de mais um programa, Carolina Ferraz se diverte na redação do Domingo Espetacular
Antes de mais um programa, Carolina Ferraz se diverte na redação do Domingo Espetacular Antes de mais um programa, Carolina Ferraz se diverte na redação do Domingo Espetacular

Atriz, produtora, apresentadora, empreendedora, empresária, profissional de dança, ex-modelo, craque diante de fogões, mesas, panelas e caçarolas. Fazer de modo bem-feito coisas diferentes, muitas delas ao mesmo tempo, nunca foi novidade para a goiana Maria Carolina Álvares Ferraz, 54 anos, a Carolina Ferraz, apresentadora do programa Domingo Espetacular, da Record TV, ao lado do jornalista Eduardo Ribeiro.

“Sempre tive disposição de realizar projetos distintos sem me reprimir. É um traço da minha personalidade. Fui modelo e estudei dança. Depois, como atriz, produzi boa parte das peças de teatro e projetos em que atuei. Procurei fazer o mesmo no audiovisual e nos programas de gastronomia e culinária. Durante a pandemia, produzi uma websérie e criei conteúdo para o YouTube e outras redes sociais na internet”, explica ela.

Nesta entrevista, a polivalente Carolina repassa pontos importantes de sua trajetória. Lembra a mudança de Goiânia para São Paulo, aos 14 anos, o início como modelo e profissional de dança e os principais trabalhos como atriz de TV, teatro e cinema. Destaca também seu lado de empreendedora. Meses atrás, ela lançou, com a filha Valentina, de 27 anos, a marca C/mples by Carolina Ferraz. Louças, temperos e caldos da grife acabam de chegar ao mercado. “Lançaremos nove produtos até o final de 2022”, garante. A apresentadora não esconde o sonho da vez: “A médio prazo, gostaria de ter um programa próprio, para apresentar, entrevistar e cozinhar com meu jeito”. Acompanhe:

Em ação num de seus territórios prediletos: a cozinha
Em ação num de seus territórios prediletos: a cozinha Em ação num de seus territórios prediletos: a cozinha

Você completará dois anos de Domingo Espetacular em julho. Como avalia esse trabalho até aqui?

Publicidade

Estou extremamente feliz com o resultado e a repercussão. Fazendo o que queria. Não tenho, ao menos por enquanto, a mais remota intenção de voltar a fazer novelas. Continuo sendo atriz, claro. Sempre animada com cinema, teatro e outros projetos audiovisuais, mas novela, no momento, não. Quero apresentar. Sinto-me altamente realizada por ter conquistado essa meta.

Quais são seus trabalhos prediletos como atriz e produtora?

Publicidade

Fiz muitas coisas legais – e, para ser sincera, também muitas ruins. Entre as várias novelas, O Astro, Kubanacan e Por Amor estão entre as preferidas. Em cinema, admiro A Glória e a Graça, filme dirigido pelo Flávio Tambellini. No teatro, fiquei muito feliz com a peça Que Tal Nós Dois, produzida por mim e pelo Otávio Martins. Curto outras coisas, mas esses trabalhos vieram agora à minha cabeça.

Sempre me interessei por comportamento. Conversar e escutar o outro. Deixar o entrevistado falar para aumentar as chances de ele oferecer informações novas%2C inéditas. As experiências com o público também contribuíram bastante. E%2C claro%2C o fato de eu ter sido entrevistada muitas vezes durante toda a carreira%2C observando a estrutura e a dinâmica da coisa%2C complementou o aprendizado

(Carolina Ferraz)

De onde vem a energia para decidir atuar em tantas frentes?

Publicidade

Sempre tive disposição de fazer coisas diferentes sem me reprimir. É um traço da minha personalidade. Atuei e estudei dança. Depois, como atriz, produzi boa parte das peças de teatro em que atuei. Procurei fazer o mesmo no audiovisual, nos programas de gastronomia e culinária e também nos projetos de internet. Durante a pandemia, produzi uma websérie e criei muito conteúdo para o YouTube e outros espaços da internet. Agora, mais madura, sinto-me ainda mais segura para utilizar meus recursos, desenvolver essas atividades e estar pronta a experimentar outras. Sou feliz assim.

Com a filha Valentina, parceira na criação de uma marca de licenciamento de produtos
Com a filha Valentina, parceira na criação de uma marca de licenciamento de produtos Com a filha Valentina, parceira na criação de uma marca de licenciamento de produtos

Você tem feito boas entrevistas e reportagens no Domingo Espetacular. A conversa com o ex-deputado estadual por São Paulo Arthur "Mamãe Falei" do Val, que perdeu o mandato após declarações impróprias na Ucrânia, é um exemplo recente. Buscou algum preparo especial para isso?

Não exatamente algo acadêmico. Mas, olhe, eu sempre me interessei por comportamento. Conversar e escutar o outro sobre os mais diversos assuntos. Deixar o entrevistado falar para aumentar as chances de ele oferecer informações novas, inéditas. As experiências de relacionamento com o público em teatro, cinema e televisão, como atriz e apresentadora, estudando as reações e respostas das pessoas, também contribuíram bastante. E, claro, o fato de eu ter sido entrevistada durante toda a carreira, observando a estrutura e a dinâmica da coisa, complementou o aprendizado.

Muita observação.

Isso. Aprendi até mesmo com as coisas que me incomodavam como entrevistada (risos). Faz parte. Além disso tudo, observo meus colegas jornalistas e pesquiso sobre a vida das pessoas antes das entrevistas. Faço isso para o Domingo Espetacular e também antes das entrevistas publicadas em minhas redes sociais. Minha formação como apresentadora é a soma desses fatores.

Você veio com sua mãe de Goiânia para São Paulo em 1982, aos 14 anos, logo após o assassinato de seu pai, Ladislau. Trabalhou como modelo e investiu na dança e nas artes cênicas. Foi difícil o início na nova cidade? (Nota da redação: em 26 de janeiro último, Carolina detalhou o assassinato de seu pai, em 1982, em entrevista ao jornalista Reinaldo Gottino, apresentador do programa Balanço Geral, da Record TV, no Link Podcast, do R7. Disse ela: ‘Tinha 14 anos. Meu pai, economista, foi assassinado ao sair do escritório. Uma história trágica: estouraram a cabeça dele com seis tiros. Precisou ser enterrado em caixão fechado. Foi a mando de um ex-sócio que lhe devia dinheiro. Eles começaram a se desentender por causa da dívida. Antes, meu pai sofreu um atentado. Planejava fazer uma pós-graduação fora do Brasil, mas desistiu por causa do primeiro ataque. Seis meses depois, foi assassinado’)

Havia evidentemente o sofrimento pela falta do meu pai, mas minha mãe sempre teve recursos para viver. Morávamos eu e mãe. Meus irmãos viviam em outros lugares em São Paulo. Se eu tivesse que trabalhar para ajudar a sustentar minha família, como a maioria dos brasileiros, faria com honra e orgulho, mas no nosso caso, graças a Deus, nunca precisei trabalhar para sustentar minha família. Mergulhei nas atividades profissionais pelo desenvolvimento pessoal e para construir minha independência. É logico que, quando se perde o pai aos 14 anos, assassinado com seis tiros na cabeça, a perspectiva de qualquer pessoa sofre alterações.

Ainda não falamos da Carolina Ferraz empreendedora e empresária. Você tem lançado novidades nessas áreas, né?

Isso mesmo. Eu e minha filha Valentina, de 27 anos, lançamos uma marca, a C/mples by Carolina Ferraz. Esse CdoC/mples é, obviamente, uma referência a Carolina Ferraz. Colocamos no mercado uma linha de louças, com pratos, sousplats, travessas, tigelas, bowls e peças para chá e café. Estamos fazendo o mesmo com uma de caldos e temperos. Estamos na fase de ampliação da rede de distribuidores, então daqui a pouco as pessoas irão encontrar nossas coisas mais facilmente. Iremos oferecer nove produtos até o final do ano e outros mais a partir de 2023. Os alimentos e temperos são naturais, orgânicos. As peças, feitas com matéria-prima de primeira qualidade.

Nosso plano é colocar outros sete produtos de nossa nova marca à venda no Brasil até o final do ano. É um trabalho interessante e animador para nós%2C que une as visões de duas gerações%3A a minha e a da minha filha Valentina

(Carolina Ferraz)

Vocês lançarão outros produtos com a marca?

Nosso plano é colocar outros sete produtos da marca à venda até o final do ano. É um trabalho interessante e animador para nós, que une as visões de duas gerações: a minha e a da minha filha Valentina.

Alguma outra novidade?

Continuarei dedicada à evolução do meu trabalho como apresentadora na Record TV. O objetivo pessoal é ter, a médio prazo, um programa próprio, onde poderei cozinhar, entrevistar e fazer outras coisas ao meu jeito. É o sonho da vez. Vamos em frente.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.