Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Hora 7
Publicidade

Cidade vira a "mais fedorenta do mundo" depois de uma criação de vacas se instalar na região

Moradores de Gelligaer alegam que parece que há ácido subindo pelas narinas de todos de tanto que o cheiro é ruim

Hora 7|Do R7

Os moradores de uma pequena aldeia britânica ficaram muito nervosos e com seus narizes irritados depois que uma fazenda com mais de 700 vacas foi construída perto da região. Eles afirmam que nem mesmo conseguem deixar suas janelas abertas ou sair de casa por conta do cheiro podre que os animais exalam.

O grupo Bryn assumiu uma enorme fazenda de 350 hectares em Gelligaer, no País de Gales, que tem uma população de apenas cerca de 18.500 habitantes, e a transformou em uma operação de gerenciamento de resíduos, ou seja, transformar resíduos orgânicos de animais e humanos em eletricidade renovável e fertilizantes.

Fazenda possui 730 vacas
Fazenda possui 730 vacas Fazenda possui 730 vacas

A empresa, que conta com cerca de 100 funcionários, também produz arenito para estradas a partir de sua pedreira no mesmo local.

"Estamos cercados por fazendas aqui há mais de um século e nunca tivemos cheiros como os que temos agora. É como se o ácido tivesse subido pelo seu nariz. Outras vezes é como se houvesse um banheiro público no seu quintal", disse Sherry Spencer, de 72 anos, que viveu em Gelligaer toda a sua vida, ao tablóide britânico Daily Star.

Publicidade

Outros moradores alegaram que parece ter um fedor constante, todos os dias do anos. Além disso, eles contam que tentaram negociar com a Bryn, mas que eles não querem recuar nem mesmo um centímetro nas atividades.

Em um comunicado a empresa escreveu que o cheiro não pode vir da fazenda, já que os resíduos das vacas são rapidamente processados, além do que o cheiro que fica é rapidamente dissipado no ar.

Pombos causam R$ 92 mil em prejuízos após porta de apartamento ser deixada aberta

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.