Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Argentina reabre fronteiras e normaliza requisitos de entrada de turistas no país

País passará a exigir apenas declaração juramentada de residentes e não residentes e um seguro para Covid-19 de turistas internacionais

Internacional|

Mudanças ocorrem em meio a uma queda de novas infecções no país
Mudanças ocorrem em meio a uma queda de novas infecções no país Mudanças ocorrem em meio a uma queda de novas infecções no país

O governo da Argentina informou na sexta-feira (1º) que irá normalizar os requisitos de entrada no país às condições prévias à pandemia, uma vez que abrirá todas as passagens fronteiriças e passará a exigir uma declaração juramentada de residentes e não residentes e um seguro para Covid-19 de turistas internacionais.

A medida comunicada pelo Ministério do Interior implica na simplificação de todos os procedimentos de entrada, prevê a eliminação das categorias de "corredores seguros" e os requisitos de testes de PCR e vacinação contra a Covid-19 para entrada na Argentina, que haviam sido impostos devido à pandemia de coronavírus.

Em reunião com 15 governadores de províncias com passagens internacionais, a pasta de Interior informou que os ingressos na Argentina serão normalizados nos próximos dias com a abertura dos 237 pontos de entrada e saída do país, tanto terrestres, fluviais, marítimos e aéreos, e que começarão a operar de acordo com as condições pré-pandemia.

O novo regulamento, que entrará em vigor a partir da sua publicação no Diário da República, prevê que os pontos de entrada habilitados até agora no país funcionem nas novas condições estabelecidas e que seja feita uma abertura programada e escalonada dos pontos não habilitado até agora.

Publicidade

A Argentina, que faz fronteira com Brasil, Chile, Bolívia, Paraguai e Uruguai, iniciou o fechamento de fronteiras no início da pandemia, em março de 2020, que foi sendo modificado de acordo com o contexto sanitário.

A partir desta sexta-feira, os estrangeiros não residentes devem preencher uma declaração juramentada eletrônica pelo menos 48 horas antes da viagem e ter seguro de saúde para Covid-19 com cobertura de serviços de internação, isolamento e/ou transferência sanitária, segundo detalhou o Ministério do Interior.

Publicidade

Argentinos e residentes também devem preencher a declaração eletrônica pelo menos 48 horas antes da viagem para entrar no país.

Por outro lado, argentinos, residentes e não residentes que entrarem no país por menos de 24 horas e o fizerem por via terrestre estarão dispensados ​​do preenchimento da declaração.

Publicidade

Também foi decidido que os estrangeiros não residentes de nacionalidade ucraniana ou procedentes da Ucrânia, enquanto permanecerem em situação migratória temporária, devem ter seguro de saúde para Covid-19 caso não possuam qualquer outra forma de cobertura sanitária.

Queda de casos

O Ministério da Saúde também anulou nesta sexta-feira a recomendação de distanciamento social de dois metros e a obrigatoriedade de notificação de sintomas no aplicativo "Cuidar".

Publicidade

Essas medidas são tomadas em um momento em que a Argentina registra uma diminuição no número de casos de Covid-19 por dez semanas consecutivas e um nível de 80,1% da população geral de 45 milhões de habitantes com o esquema vacinal completo, além de 16,1 milhões de doses de reforço aplicadas, de acordo com o Ministério da Saúde.

A Argentina, que passou por três ondas de infecções, registrou nesta sexta-feira 1.927 novos casos de Covid-19, elevando o total de positivos para 9.039.838, enquanto o total de mortes subiu para 128.052, após a notificação de mais 34 óbitos nas últimas 24 horas.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.