Estados Unidos

Internacional Atirador da Califórnia burlou rígido controle de armas e juntou arsenal para realizar sua vingança

Atirador da Califórnia burlou rígido controle de armas e juntou arsenal para realizar sua vingança

Elliot Rodger tinha três armas e 400 balas para se "vingar da humanidade"

  • Internacional | Do R7

Elliot matou seis pessoas na Califórnia; três delas, a tiros

Elliot matou seis pessoas na Califórnia; três delas, a tiros

BBC

O Estado da Califórnia tem algumas das leis mais rígidas dos Estados Unidos em relação ao controle de armas de fogo. Ainda assim, o jovem Elliot Rodger, acusado de matar seis pessoas na última sexta-feira (23), conseguiu juntar um arsenal.

Filho do assistente de direção dos filmes Jogos Vorazes, Peter Rodger, Elliot esfaqueou até a morte três companheiros de quarto da Universidade de Santa Bárbara e depois atirou aleatoriamente em pessoas na vizinhança, matando outras três.

Depois de trocar tiros com a polícia, ele foi achado morto dentro de uma BMW preta com um ferimento à bala na cabeça.

Apesar de ter se tratado de problemas mentais durante anos, o atirador de 22 anos possuía três armas compradas ilegalmente e mais de 400 balas de munição ainda não utilizadas.

Em contraste com atitude agressiva do filho, cineasta Peter Rodger vende fotos artísticas de mulheres nuas

Modelo que teria despertado ódio do atirador da Califórnia está "devastada" por ser associada ao caso

Na tarde de sábado (24), o advogado de Peter Rodgers afirmou que o jovem sofria de síndrome de Asperger (um tipo de transtorno associado ao autismo), tinha dificuldades em fazer amigos e estava recebendo ajuda profissional para o tratamento do problema.

Sob a lei federal, alguém que está involuntariamente passando tratamento psiquiátrico é impedido de possuir armas de fogo. As leis ainda mais rigorosas da Califórnia também proíbem os indivíduos que são considerados uma ameaça para si ou para outros de portar armas.

O xerife de Santa Bárbara County, Bill Brown, disse que Elliot foi visitado por seus assistentes em abril, mas não ofereceu indicações de que ele era "um perigo para si mesmo ou qualquer outra pessoa”, segundo informações do jornal The New York Times.

— Ele foi capaz de inventar uma história muito convincente de que não havia nenhum problema, que ele não ia se machucar ou qualquer outra pessoa.

Em um vídeo publicado no YouTube na véspera do ataque, Elliot afirma que desde a puberdade foi ignorado pelas mulheres e por isso iria se "vingar da humanidade".

Na gravação, aparece Elliot, que se filma no carro, e fala por sete minutos sobre sua solidão e seu ódio do mundo.

Ele também se revolta contra as mulheres que o rejeitaram e ignoraram-no nos últimos anos e promete: "Vou castigar todas vocês por isso".

"Vou massacrar cada vagabunda loira, mimada e metida que via lá dentro, e todas essas garotas que eu tanto desejei e que me rejeitaram e me olharam com desprezo, como se eu fosse um homem inferior", declara o jovem, no vídeo.

Últimas