Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Biden: Ocidente 'não teve nada a ver' com rebelião do grupo Wagner

Presidente dos EUA e líderes de outros aliados da Ucrânia concordaram que não devem nenhuma desculpa a Vladimir Putin

Internacional|

O presidente dos EUA, Joe Biden, faz discurso sobre investimento em infraestrutura nesta segunda (26)
O presidente dos EUA, Joe Biden, faz discurso sobre investimento em infraestrutura nesta segunda (26) O presidente dos EUA, Joe Biden, faz discurso sobre investimento em infraestrutura nesta segunda (26)

O presidente americano, Joe Biden, afirmou, nesta segunda-feira (26), que o Ocidente "não teve nada a ver" com a rebelião do grupo Wagner na Rússia, iniciada e abortada no fim de semana.

"Convoquei nossos aliados-chave para uma chamada por Zoom", disse Biden a jornalistas.

"Eles concordaram que nós temos que ter certeza de não dar a [o presidente russo, Vladimir] Putin nenhuma desculpa [...] para responsabilizar o Ocidente e a Otan por isso", afirmou.

"Deixamos claro que não estávamos envolvidos. Não tivemos nada a ver, era um problema dentro do sistema russo", acrescentou.

Publicidade

"Para manter nossa coordenação, vou falar com os chefes de Estado. [...] Vou garantir que estejamos de acordo", disse o presidente, para quem é “muito cedo” para tirar conclusões sobre o ocorrido.

Biden disse estar em contato com o presidente ucraniano, Volodmir Zelensky, para garantir-lhe o apoio de seu país.

Publicidade

· Compartilhe esta notícia no WhatsApp

· Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

Durante 24 horas, as forças de Yevgeny Prigozhin, chefe do grupo paramilitar Wagner, tomaram várias instalações militares na cidade estratégica de Rostov-on-Don, no sudoeste da Rússia, e percorreram 600 km em direção a Moscou.

Em Rostov, seus combatentes foram aplaudidos ao deixar o quartel-general militar que tinham tomado, de onde são coordenadas as operações na Ucrânia.

A rebelião terminou após um acordo, em virtude do qual Prigozhin obteve garantias de imunidade para si e para seus homens em troca do fim do levante. Segundo o Kremlin, ele deve se exilar em Belarus.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.