Internacional Busca por desaparecidos continua na Itália após deslizamento de terra

Busca por desaparecidos continua na Itália após deslizamento de terra

Equipes de resgate ainda procuram por uma dúzia de moradores da cidade de Casamicciola Terme, no sul do país

AFP
Equipe de resgate procura desaparecidos em Casamicciola Terme

Equipe de resgate procura desaparecidos em Casamicciola Terme

Eliano Imperato/AFP

Equipes de emergência procuram por uma dúzia de pessoas desaparecidas na ilha de Ischia, no sul da Itália, neste domingo (27), depois que um deslizamento deixou pelo menos um morto, o que levou o governo a convocar uma reunião de emergência.

Uma avalanche de lama e detritos, desencadeada por fortes chuvas, devastou a pequena cidade de Casamicciola Terme, no norte da ilha de Ischia, na costa de Nápoles, na manhã de ontem, sábado (26).

O prefeito de Nápoles, Claudio Palomba, informou que as equipes de resgate encontraram o corpo de uma mulher que, segundo a agência AGI, tinha 31 anos. A imprensa italiana também relatou 13 feridos.

Pessoas que estavam desaparecidas foram posteriormente encontradas sãs e salvas, incluindo uma família com um recém-nascido, disse o prefeito. Entretanto, até o meio da tarde do sábado, as equipes ainda procuravam por mais de 12 cidadãos, dos quais quais não há notícias.

"Tememos que haja outras vítimas, mas até agora o número é de uma pessoa morta", informou Luca Cari, porta-voz do Corpo de Bombeiros.

Os esforços de resgate foram prejudicados por chuvas e ventos contínuos, que também atrasaram a chegada de balsas com ajuda do continente.

O ministro italiano do Interior, Matteo Piantedosi, chamou a situação de "muito grave" e disse que várias pessoas ainda poderiam estar presas na lama.

Resgate complexo

A gestão do desastre contou com um tropeço do governo: Piantedosi contestou uma declaração do vice-primeiro-ministro Matteo Salvini à imprensa, sobre a ocorrência de oito mortes na tragédia, explicando que esse saldo não havia sido confirmado.

O deslizamento arrastou árvores e veículos, alguns dos quais chegaram até o mar. A lama cobriu uma casa, e duas pessoas foram resgatadas de dentro de um carro, que foi arrastado para o mar, disse o porta-voz dos bombeiros.

Pelo menos 30 famílias ainda estão presas em casa por causa da lama, sem água ou eletricidade, informou a agência de notícias Ansa. A estrada que dá acesso ao bairro mais afetado ficou bloqueada por lama e entulhos.

Os serviços de resgate planejavam retirar de 150 a 200 pessoas na noite de sábado, para que pudessem passar a noite em abrigos temporários. As autoridades pediram aos moradores que permanecessem em casa para não atrapalhar o trabalho dos socorristas.

Casas que resistiram ao deslizamento

Casas que resistiram ao deslizamento

Eliano Imperato/AFP

“O trabalho de resgate ainda é complexo devido às condições meteorológicas”, afirmou o departamento de proteção civil. No entanto, as operações continuaram durante toda a noite, graças ao uso de lanternas e projetores.

A primeira-ministra da Itália, Giorgia Meloni, disse estar acompanhando as buscas e convocou uma reunião extraordinária para tratar da situação.

Casamicciola Terme é uma cidade turística e tem cerca de 8.000 habitantes. Em 2017, já registrou um terremoto, que causou duas mortes. No fim do século 19, um terremoto muito mais forte destruiu totalmente a cidade.

A tragédia de sábado ocorreu semanas depois de chuvas torrenciais atingirem o centro-leste da Itália, deixando 11 mortos.

Últimas