Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

EUA: homem interrompe encontro, mata flanelinha a tiros e age como se nada tivesse acontecido

Erick Aguirre saiu de restaurante em Houston, no Texas, e atirou em Elliot Nix, que o havia enganado e roubado dele US$ 40 (R$ 200)

Internacional|Do R7

Policiais responderam a relatos de tiroteio na noite do crime
Policiais responderam a relatos de tiroteio na noite do crime Policiais responderam a relatos de tiroteio na noite do crime

Um homem que estava em um encontro amoroso em um restaurante em Houston, no estado americano do Texas, saiu correndo do local e atirou em um homem que fingia ser atendente de estacionamento. O crime ocorreu após ele perceber que o golpista o havia enganado e roubado dele US$ 40 (R$ 200). As informações são do jornal americano The New York Times.

O crime ocorreu no último dia 11, mas o suspeito, Erick Aguirre, de 29 anos, só foi preso na última terça-feira (25), em Aransas, condado no estado do Texas, sob fiança de US$ 200.000 (R$ 997.940). Ele é acusado de homicídio pela morte de Elliot Nix, de 46 anos. A próxima audiência no tribunal está marcada para o dia 27 de junho.

· Compartilhe esta notícia no Whatsapp

· Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

Segundo um documento de acusação, ao qual o New York Times teve acesso, Aguirre saiu para jantar em 11 de abril com Melanie Castillo, que afirmou em declaração voluntária que ela e o suspeito estavam namorando. Eles dirigiam, em carros separados, rumo a uma lanchonete a leste do centro de Houston. Depois de estacionarem, um homem os abordou e disse que o estacionamento custaria US$ 20 (R$ 100) para cada veículo, mas que o dinheiro seria reembolsado se apresentassem o recibo da refeição. Aguirre pagou o homem e o casal foi embora para a lanchonete.

Quando chegaram ao restaurante, um funcionário alertou o casal que o homem era um "golpista" e que não trabalhava no estacionamento. De acordo com o relato de Melanie, naquele momento, Aguirre "correu para o carro", enquanto ela o esperava na rua em frente ao restaurante.

Publicidade

Jacob Ray, uma testemunha que trabalha em uma tabacaria na rua do restaurante, afirmou à polícia que viu Aguirre correr para o veículo e sacar uma pistola. Ray conta que perdeu o suspeito de vista, mas que ouviu um tiro e depois viu Aguirre "caminhando despreocupadamente de volta para o carro com a arma na mão". Ray relatou, ainda, ter visto o suspeito guardar a arma no carro e entrar de volta no restaurante.

Melanie informou à polícia que, após Aguirre retornar ao estabelecimento, ele teria dito a ela que "só tinha assustado o cara" e que "estava tudo bem". O casal foi se sentar à mesa, mas, pouco antes, ela percebeu que o namorado parecia desconfortável e sugeriu que eles fossem a outro lugar.

Publicidade

O Departamento de Polícia de Houston afirmou, em comunicado, que os policiais responderam a relatos de tiroteio na área naquela noite e que, mais tarde, encontraram a vítima inconsciente com um tiro no lado superior direito das costas. Ele foi levado a um hospital, onde foi declarado morto.

Melanie testemunhou à polícia dois dias depois do crime e um dia depois que a polícia divulgou fotos dela e de Aguirre como pessoas de interesse procuradas para interrogatório. Ela foi libertada sem acusações contra ela.

O advogado de Castillo, Rick DeToto, afirmou que Melanie ficou "chocada" ao ver uma foto dela no noticiário e ao saber que ela era uma pessoa de interesse para a polícia. Castillo disse, ainda, que a mulher não sabia da morte e que ficou "arrasada" quando descobriu o que tinha acontecido.

Emocionante: pai de adolescente assassinado em massacre nos EUA faz apelo aos brasileiros

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.