Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

EUA, UE e Brasil condenam atentado em Barcelona

"Faremos o que for necessário para ajudar", disse Trump 

Internacional|Da Ansa

Líderes mundiais condenaram o atentado que deixou mortos e feridos em Barcelona
Líderes mundiais condenaram o atentado que deixou mortos e feridos em Barcelona Líderes mundiais condenaram o atentado que deixou mortos e feridos em Barcelona

O presidente Donald Trump disse que os Estados Unidos "condenam" o atentado terrorista em Barcelona, segunda maior cidade da Espanha e capital da comunidade autônoma da Catalunha.

"Faremos o que for necessário para ajudar. Sejam firmes e fortes, nós amamos vocês", escreveu o mandatário norte-americano em seu perfil no Twitter.

Já o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, afirmou que o bloco não se deixará intimidar por "tal barbárie".

"Esse ataque covarde atingiu deliberadamente aqueles que aproveitavam a vida e compartilhavam seu tempo com a família e os amigos", acrescentou o chefe do poder Executivo da União Europeia.

Publicidade

Sobe para 13 o número de mortos em Barcelona

Imagens divulgadas nas redes sociais mostram cenário de terror em Barcelona

Publicidade

Por sua vez, o presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, exprimiu sua "solidariedade" às vítimas do atentado terrorista.

"Toda a UE está unida em defesa da paz", escreveu o italiano no Twitter. A rede social também foi usada pelo presidente da França, Emmanuel Macron.

Publicidade

"Meu pensamento e a solidariedade da França vão às vítimas do trágico atentado em Barcelona. Permaneçamos unidos e determinados", declarou. Já o Brasil, por meio de uma nota do Ministério das Relações Exteriores, disse que "deplora veementemente" o atentado desta quinta.

"O Brasil reitera sua condenação a todo e qualquer ato de terrorismo, qualquer que seja sua motivação, ao mesmo tempo em que expressa, consternado, seu sentimento de pesar às famílias das vítimas e estende votos de plena e rápida recuperação aos feridos", afirma o comunicado, acrescentando que, até o momento, não há registro de brasileiros entre as vítimas.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.