Internacional Governo da Nigéria tenta impedir leilão de peças históricas do país

Governo da Nigéria tenta impedir leilão de peças históricas do país

A casa de leilões Christie's afirma que as peças foram adquiridas da coleção do especialista francês em arte primitiva Jacques Kerchache

Esculturas estão avaliadas em U$ 280 mil (aproximadamente R$ 1,5 milhão)

Esculturas estão avaliadas em U$ 280 mil (aproximadamente R$ 1,5 milhão)

Divulgação/ Christie's

O governo da Nigéria, em conjunto com historiadores, questionaram a famosa casa de leilões francesa Christie's pela venda de objetos de arte do país. De acordo com o historiador Chika Okeke-Agulu, as peças foram retiradas da Nigéria de forma ilegal durante a guerra civil nos anos 60 e 70. A informação foi publicada pela CNN.

Leia mais: Chefe de gabinete da Presidência da Nigéria morre com novo coronavírus

As esculturas em questão são consideradas divinas pela etnia Igbo, um dos três maiores grupos da África. A casa de leilões, após ser questionada sobre a procedência do material, afirmou que as esculturas foram da coleção de Jacques Kerchache, um dos principais colecionadores de arte africana e consultor do falecido presidente da França Jacques Chirac.

"Kerchache teria adquirido as esculturas na área de Nri-Awka (a meia hora de carro da minha cidade natal) durante os anos mais sombrios da Guerra de Biafra", argumenta Okeke-Angulu. Para o professor, as obras de arte estaria protegidas pela Convenção da Unesco de 1954 sobre a proteção de bens culturais em caso de conflito armado.

O historiador Okeke-Angulu afirma que a defesa das peças está relacionado ao movimento contra o racismo Black Lives Matter (vidas negras importam), mas ele complementa que as artes negras também importam. 

Em uma publicação, ele afirma que "enquanto entre 500 mil e três milhões de civis, incluindo bebês como eu, estavam morrendo de kwashiorkor e fome dentro de Biafra; e enquanto jovens médicos franceses estavam na zona de guerra estabelecendo o que hoje conhecemos como Médicos Sem Fronteiras, seu compatriota, o Sr. Kerchache, foi lá para comprar a herança cultural do meu povo, incluindo as duas esculturas que você está oferecendo à venda".

A peças serão leiloadas nesta segunda-feira (29).

.

Últimas