Internacional Hong Kong enfrenta maior redução populacional desde 1961

Hong Kong enfrenta maior redução populacional desde 1961

Fechamento por conta da covid-19 foi um dos fatores que contribuíram para a perda de 90 mil residentes em 2020

AFP
Hong Kong perdeu 90 mil residentes em 2020

Hong Kong perdeu 90 mil residentes em 2020

ISAAC LAWRENCE / AFP

 A população de Hong Kong diminuiu 1,2% durante o último ano, perdendo cerca de 90 mil residentes, de acordo com estatísticas divulgadas nesta quinta-feira (12).

No âmbito da repressão à dissidência imposta por Pequim e da pandemia de covid-19 que manteve o centro financeiro fechado, 2020 se tornou o ano com a maior redução populacional desde 1961, também um período de grande convulsão política.

As projeções populacionais para meados de 2021 concluíram que Hong Kong tem 7.394.700 habitantes, o que significa uma diminuição de 87.100 pessoas (1,2%) em relação ao mesmo período do ano passado.

Os números do final de 2020 também apontavam um decréscimo de 1,2%, pelo que os divulgados nesta quinta sugerem que não houve trégua no declínio populacional.

No passado, Hong Kong só registrou uma redução comparável da população, também de 1,2%, em 2003 após a epidemia de SARS (síndrome respiratória aguda grave, causada por um coronavírus da família da covid-19, muito menos contagioso, mas mais letal).

Leia mais: Universidade nos EUA vai multar alunos que não se vacinarem

Além disso, a sociedade de Hong Kong está envelhecendo rapidamente - com mais mortes do que nascimentos -, uma diferença de 11.800 no ano passado.

Os dados fornecidos pelo governo também revelaram o saldo migratório como causa, e o fluxo rendeu um saldo negativo de 20,9 mil, ante os saldos positivos em 2018 e 2019 de 8,5 mil e 23 mil pessoas, respectivamente.

Últimas