Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Lisboa instala barreiras antiterrorismo após ataques em Barcelona

Governo afirma que medidas já eram estudadas há algum tempo, antes dos recentes atentados em Barcelona

Internacional|Agência Brasil

Mosteiro dos Jerônimos é uma das zonas turísticas protegida por barreiras antiterrorismo
Mosteiro dos Jerônimos é uma das zonas turísticas protegida por barreiras antiterrorismo Mosteiro dos Jerônimos é uma das zonas turísticas protegida por barreiras antiterrorismo

A Câmara Municipal de Lisboa, em coordenação com a PSP [Polícia de Segurança Pública], tem instalado barreiras de proteção antiterrorismo em zonas turísticas da cidade como o Chiado, a Rua Augusta e o Mosteiro dos Jerônimos, em Belém.

Nos locais, onde passam milhares de turistas e portugueses diariamente, foram instalados blocos de cimento e pilares de metal para evitar que veículos possam invadir as ruas, como ocorreu nos ataques a Barcelona, Nice e Berlim.

Após 338 mortos e mais de 1500 feridos, especialistas fazem alerta sobre onda de terrorismo na Europa

De acordo com comunicado divulgado pela Câmara de Lisboa, as "soluções são compatíveis com o acesso rápido para eventuais operações de socorro, em particular por parte de bombeiros e ambulâncias”.

Publicidade

A instalação das barreiras ocorreu após os ataques na Espanha, reivindicados pelo grupo terrorista Estado Islâmico, no último dia 17. Até o momento, já foram registradas 16 mortes — incluindo as de duas portuguesas; mais de 100 feridos; e 24 internados, cinco em estado crítico.

A preocupação do governo português com a segurança dos turistas não se restringe a Lisboa, englobando também cidades como Fátima, Coimbra e Porto. Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística de Portugal (INE), em 2017, apenas até abril, Portugal já havia recebido mais de 5,3 milhões de turistas, um aumento de quase 11% em relação ao ano passado. A estimativa é de que sejam 21 milhões de turistas este ano, um recorde para o país, que tem 10,3 milhões de habitantes.

Publicidade

Após os ataques nas cidades espanholas, o Comando Metropolitano de Lisboa divulgou comunicado em sua página do Facebook em que afirma que, há alguns meses, já vinha reforçando a vigilância e segurança em áreas de maior concentração de pessoas.

De acordo com a nota, apesar de o grau de ameaça terrorista em Portugal se manter moderado, não sofrendo alterações, a PSP, em coordenação com a CML [Câmara Municipal de Lisboa], implementa medidas que já vinham sendo estudadas há algum tempo, antes dos recentes atentados em Barcelona. Essa intervenção está sendo feita na região do Chiado, na Rua Augusta e no Mosteiro dos Jerónimos, além de outros locais da área de jurisdição do Comando Metropolitano de Lisboa sempre que necessário.

Publicidade

"Atentado de Barcelona mostra que estamos todos ameaçados", diz especialista

O comunicado alerta para as medidas que devem ser tomadas pela população em caso de ataque: fugir, proteger-se e ligar para a polícia. O texto diz: “Fugir: esta é a melhor opção para se proteger. Não tente enfrentar, não tente negociar. Proteger: esconda-se, barrique-se num edifício ou estabelecimento até que as autoridades cheguem ao local. Ligar: use o 112 (número de emergência em Portugal). A sua descrição dos acontecimentos pode ajudar a polícia. Se estiver escondido, diga onde se encontra, isso vai facilitar o seu socorro”.

De acordo com a polícia, as fronteiras estão sob vigilância reforçada, assim como a marcação de reservas em hotéis e locadoras de veículos. Os próximos eventos de grande porte, como shows de música, espetáculos ao ar livre e jogos de futebol também serão alvo de especial atenção por parte das autoridades.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.