Motorista que matou 5 em Cuba é condenado a 10 anos de prisão

Acidente aconteceu no centro de Havana, capital do país, em maio do ano passado; além das vítimas fatais, outras 20 pessoas ficaram feridas

Acidente aconteceu em maio do ano passado, no centro de Havana

Acidente aconteceu em maio do ano passado, no centro de Havana

EFE

Um tribunal cubano condenou a dez anos e três meses de prisão o motorista do carro que em maio do ano passado matou cinco pessoas e feriu outras 20 ao sair da estrada no Malecón, em Havana, segundo informações divulgadas neste domingo pela imprensa estatal.

O Tribunal Provincial Popular de Havana condenou Luis Alberto M.H. pelos crimes de assassinato, ferimentos e danos e condução sob a influência do álcool, de acordo com o jornal "Tribuna de La Havana".

À sentença, que levou em conta a "alta periculosidade" do que aconteceu, é acrescentada a suspensão da carteira de motorista por cinco anos e a obrigação de compensar financeiramente as vítimas.

"Os juízes explicaram em detalhes os eventos ocorridos e como durante o julgamento foi demonstrado que o réu havia consumido bebidas alcoólicas e era incapaz de dirigir o veículo, além do excesso de velocidade e da distração", publicou o periódico oficial.

Acidente na madrugada

O acidente ocorreu na madrugada de 19 de maio de 2019, quando o veículo, um Mercury ano 1952, saiu da via no Malecón, subiu a calçada e atropelou muitas pessoas.

Após o acidente, que teve um grande impacto no país, as autoridades reduziram o limite de velocidade permitido para circular na tradicional via de Havana e decidiram fechar ao trânsito alguns de seus trechos durante a noite dos fins de semana, quando centenas de pessoas se reúnem nas calçadas.

Os acidentes de trânsito têm sido a quinta causa de morte em Cuba durante anos, com um reportado a cada 55 minutos, uma pessoa morrendo a cada 15 horas e uma ferida a cada hora e 15 minutos, de acordo com um recente relatório do Departamento de Trânsito da Polícia Revolucionária Nacional (PNR).