Rússia x Ucrânia

Internacional Pai de menina que fez desenho contra a guerra é recapturado em Belarus após fugir de prisão russa

Pai de menina que fez desenho contra a guerra é recapturado em Belarus após fugir de prisão russa

Com lápis de cor, adolescente protestou contra a invasão da Ucrânia pela Rússia ao pintar uma mulher que protege filho de mísseis

Agência EFE
Resumindo a Notícia
  • Pai de menina que fez desenho contra a guerra e fugiu de prisão foi recapturado em Belarus.

  • Filha de Alexei Moskalyov protestou contra a guerra na Ucrânia em desenho feito na escola.

  • Moskalyov é acusado por autoridades russas de 'desacreditar as Forças Armadas'.

Alexei Moskalyov responde por crimes como 'desacreditar' as Forças Armadas da Rússia

Alexei Moskalyov responde por crimes como 'desacreditar' as Forças Armadas da Rússia

Sota/Handout via Reuters - 27.3.2023

As forças de ordem detiveram em Belarus o cidadão russo Alexei Moskalyov, pai de uma menina de 13 anos que fez um desenho contra a guerra e que se encontra em um centro juvenil após a investigação aberta contra o pai, segundo informaram nesta quinta-feira (30) vários meios de comunicação russos.

De acordo com o canal Telegram Sota, Moskalyov foi detido em Minsk, depois de fugir da prisão domiciliar na noite anterior à sua condenação pela Justiça russa a dois anos de prisão por dois casos em que teria desacreditado as Forças Armadas russas com comentários nas redes sociais.

Dmitri Zavarov, advogado de Moskalyov, disse no Telegram que ainda não conseguiu entrar em contato com o cliente para obter detalhes sobre a prisão. O pai solteiro vive em Yefremov, uma cidade cerca de 300 km ao sul de Moscou.

A perseguição judicial ao homem se intensificou depois que a filha, Masha, pintou em abril de 2022 em uma aula de artes um desenho com a bandeira ucraniana e uma mulher protegendo o filho de mísseis. A menina também escreveu "Glória à Ucrânia" e "Não à guerra" no desenho.

No dia seguinte, a polícia levou Moskalyov e a filha à delegacia, onde o pai soube que havia sido aberto um processo contra ele por "desacreditar" as Forças Armadas.

Moskalyov já havia sido multado em 32 mil rublos (cerca de R$ 2.100) por escrever na rede social Odnoklassniki que "os perpetradores estão do nosso lado", em suposta referência ao Exército russo.

O homem foi preso em 1º de março, em outro caso por "desacreditar as Forças Armadas", graças a comentários na mesma rede social sobre o massacre em Bucha, nao norte de Kiev, e sobre o ataque em julho do ano passado contra uma prisão em Yelenovka, 40 km a nordeste de Donetsk, de acordo com o portal independente Meduza.

A menina Masha foi levada para um centro juvenil, e a audiência no processo instaurado para retirar a guarda do pai está marcada para 6 de abril.

Durante o julgamento, que durou apenas um dia, Moskalyov disse que não escreveu os comentários e alegou que sua página na Odnoklassniki foi hackeada várias vezes.

Bakhmut tem 'desfile' de feridos em um dia normal na guerra

Últimas