Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Polícia busca Moussa Oukabir, autor de atentado em Barcelona

Jovem de 18 anos tem origem marroquina e dirigiu a van

Internacional|ANSA Brasil

Moussa Oukabir, suposto motorista da van, conseguiu fugir e ainda não se sabe seu paradeiro
Moussa Oukabir, suposto motorista da van, conseguiu fugir e ainda não se sabe seu paradeiro Moussa Oukabir, suposto motorista da van, conseguiu fugir e ainda não se sabe seu paradeiro

A polícia da Catalunha informou nesta sexta-feira (18) que o jovem Moussa Oukabir [foto], de 18 anos e origem marroquina, seria o motorista da van usada para cometer um atentado terrorista ontem em Las Ramblas, em Barcelona. O motorista da van conseguiu fugir e ainda não se sabe seu paradeiro. Ele seria irmão de Driss Oukabir, de 28 anos, cuja foto tinha sido divulgada ontem pela imprensa como o principal suspeito do atentado.

Driss se apresentou à delegacia de Ripoll, a cerca de 100 quilômetros de Barcelona, onde mora, após ver sua foto circulando nas redes sociais como o principal suspeito do atentado em Las Ramblas. Driss negou o envolvimento no caso, mas acabou sendo detido e permanece na delegacia. A polícia chegou até Driss porque seus documentos estavam no veículo usado no atentado. Agora, as autoridades trabalham com a hipótese de que o jovem irmão tenha pego os documentos de Driss para alugar o veículo.

Sobe para 14 o número de mortos em atentado de Barcelona

De acordo com os jornais espanhois, Moussa Oukabir publicava mensagens extremistas em suas redes sociais. "Matar os infiéis e deixar somente os muçulmanos que seguem a religião", escrevera o jovem há dois anos no app "Kiwi", quando questionado por um internauta sobre "o que faria em seu primeiro dia como rei do mundo?".

Publicidade

Moussa teria completado 18 anos recentemente e chegara à Espanha no último dia 13 de agosto, vindo do Marrocos.

Atentado em Las Ramblas

Publicidade

Moussa seria o condutor da van que atropelou mais de 100 pessoas na zona turística de Las Ramblas, um calçadão comercial. O atentado, reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), ocorreu por volta das 17h locais (12h de Brasília), quando a van atropelou por 600 metros dezenas de pedestres. Até o momento, a polícia confirmou a morte de 13 pessoas e mais de 100 feridos.

Testemunha de ataque em Barcelona, australiana já tinha escapado de outros dois atentados na Europa em 3 meses

Publicidade

A polícia acredita que o atentado tenha sido cometido por uma célula de até oito pessoas. Três foram presas até agora, mas o motorista da van ainda está foragido. Além de Driss, os outros detidos são: um indivíduo originário de Melilla, enclave espanhol no norte da África, preso em Alcanar, a 200 quilômetros de Barcelona; e outro homem preso em Ripoll.

Atentado em Cambrils

Quase 10 horas depois do ataque em Barcelona, a polícia espanhola conseguiu frustar um outro atentado terrorista que estava prestes a ocorrer em Cambrils, a 110 quilômetros. Cinco suspeitos foram mortos enquanto tentavam romper um bloqueio das forças de segurança com um veículo. Eles usavam cintos explosivos que, depois, os esquadrões constataram que eram falsos. Seis pessoas ficaram feridas. A polícia já confirmou que os dois episódios estão relacionados e também trata o incidente como um atentado.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.