Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Primeiro-ministro britânico elogia rei Charles 3º pela 'liderança de longa data' na questão climática

Premiê e monarca se encontraram no Palácio de Buckingham em evento pré-COP27, cúpula da ONU que será realizada no Egito

Internacional|Do R7

Rishi Sunak e o rei Charles 3º se encontraram no Palácio de Buckingham
Rishi Sunak e o rei Charles 3º se encontraram no Palácio de Buckingham Rishi Sunak e o rei Charles 3º se encontraram no Palácio de Buckingham

O primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, elogiou nesta sexta-feira (4) o rei Charles 3° pela liderança no combate às mudanças climáticas, durante uma recepção organizada pelo monarca para políticos e líderes empresariais antes da cúpula ambiental COP27, da ONU, que acontecerá no Egito.

Charles, de 73 anos, que há muitos anos faz campanha sobre questões ambientais, não participará da cúpula que começa na próxima semana, mas organizou uma recepção no Palácio de Buckingham para mais de 200 personalidades internacionais, incluindo o enviado especial dos EUA para o clima, John Kerry.

"Sua Majestade tem trabalhado para ajudar a encontrar soluções práticas para as mudanças climáticas e a perda de biodiversidade por mais de 50 anos, muito antes da COP1, que dirá a COP27", disse Sunak durante o encontro.

O primeiro-ministro agradeceu pela "liderança de longa data e visão de longo prazo" do rei.

Publicidade

O Palácio de Buckingham disse no mês passado que procurou aconselhamento do governo britânico sob a antecessora de Sunak, Liz Truss, e concordou que Charles, que falou na cerimônia de abertura da cúpula de 2021, em Glasgow, não iria à COP27.

Kerry disse que a presença de Sunak no Egito seria "muito poderosa" .

Publicidade

O Reino Unido sediou a COP26, mas foi apenas no início desta semana que Sunak reverteu a decisão anterior de não ir ao Egito e se concentrar em questões econômicas urgentes em casa, em meio a críticas de ativistas ambientais, oponentes políticos e até mesmo de alguns membros do próprio Partido Conservador.

"Quando você olha para o desafio diante de nós, é fácil se sentir intimidado, mas acredito que os acordos que alcançamos em Glasgow são uma fonte de esperança para o mundo", disse Sunak.

"Se não agirmos hoje, corremos o risco de deixar uma herança cada vez mais desesperada para nossos filhos amanhã."

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.