Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Secretário-geral da ONU diz não esperar avanço nas negociações de paz entre Rússia e Ucrânia

António Guterres conheceu não ser otimista sobre a possibilidade da guerra ne Europa acabar em um futuro próximo.

Internacional|Do R7

Secretário-geral da ONU, Antonio Guterres
Secretário-geral da ONU, Antonio Guterres Secretário-geral da ONU, Antonio Guterres

O secretário-geral da ONU, António Guterres, reconheceu nesta segunda-feira (19) não ser otimista sobre as possibilidade de que Ucrânia e Rússia mantenham negociações de paz em um futuro próximo.

"Acredito que o confronto militar irá continuar e acho que teremos que esperar um momento em que sejam possíveis negociações de paz sérias", disse o diplomata português, em entrevista coletiva.

"Não ficamos iludidos de que uma verdadeira negociação de paz seja possível em um futuro imediato", acrescentou.

Ele garantiu que a guerra terá que acabar de uma forma negociada, já que não crê em uma solução militar para o conflito.

Publicidade

Esse fim da guerra, segundo Guterres, deveria estar adequado à carta da ONU, que, entre outras coisas, exige o respeito à independência e integridade territorial dos países.

Sobre a situação em campo, o português denunciou a recente "escalada" realizada pela Rússia, com "duros bombardeios" da infraestrutura elétrica que estão "tendo impacto dramático nas condições de vida" da população e "terão consequências terríveis para o futuro".

Publicidade

Além disso, Guterres destacou que existem "muitos rumores sobre possíveis novas ofensivas", justamente, no momento em que deveria ser evitado um acirramento do conflito.

Leia também

Diante da falta de conjuntura propícia para negociações de paz, o português disse que a ONU seguirá focando na adoção do Acordo do Mar Negro, para a exportação de cereais ucranianos e para facilitar o fluxo de fertilizantes russos.

Guterres ainda disse que as Nações Unidas estão interessadas em acelerar a troca de prisioneiros de guerra entre as partes e oferecem "plataformas de diálogo" para esta e outras questões.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.