Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Urso-polar fere turista em arquipélago norueguês no Ártico

Animal entrou no acampamento onde estavam 25 pessoas, foi ferido a tiros após o ataque e depois sacrificado

Internacional|Do R7

Urso-polar invadiu o acampamento onde estavam 25 pessoas e feriu uma turista francesa no braço
Urso-polar invadiu o acampamento onde estavam 25 pessoas e feriu uma turista francesa no braço Urso-polar invadiu o acampamento onde estavam 25 pessoas e feriu uma turista francesa no braço

As autoridades locais informaram nesta segunda-feira (8) um ataque de urso contra uma turista francesa. Ela teve feridas leves após o urso polar invadir um acampamento no arquipélago norueguês de Svalbard, no Ártico.

A mulher fazia parte de uma expedição com 25 pessoas alojadas em barracas no oeste do território localizado a aproximadamente 1.000 quilômetros do Polo Norte.

"Um urso entrou em um acampamento esta manhã por volta das 6h30 no horário local (3h30 no horário de Brasília) e feriu uma francesa no braço", declarou à AFP o chefe da polícia local, Stein Olav Bredli. "Sua vida não está em perigo", acrescentou.

A turista foi levada de helicóptero para o hospital de Longyearbyen, a principal cidade do arquipélago.

Publicidade

"Houve disparos contra o urso-polar, que se assustou e abandonou o lugar", disse Bredli.

O animal foi localizado posteriormente pelas autoridades e foi sacrificado devido à magnitude de suas feridas.

Publicidade

Um urso macho pode pesar entre 300 e 600 quilos, enquanto a fêmea pesa a metade disso. Para estar preparado para um eventual encontro com os ursos, em Svalbard é obrigatório levar um rifle ao sair das comunidades urbanas.

De acordo com uma contagem de 2015, no setor norueguês do Ártico vivem aproximadamente 1.000 ursos-polares, uma espécie protegida desde 1973.

Publicidade

Leia também

Cerca de 300 vivem o ano todo no arquipélago e alguns se mudaram para a parte ocidental do território, onde também há concentração de humanos. Eles haviam desaparecido da região quando a caça ainda era permitida.

Desde 1971 foram registrados seis ataques mortais de ursos. O último, em que morreu um holandês de 38 anos, foi em 2020.

Segundo os especialistas, o derretimento das geleiras devido ao aquecimento global está privando os ursos-polares de seu locais de caça favoritos, onde se alimentam de focas, e os está aproximando de áreas habitadas por humanos, em busca de alimento.

Apesar de famosas, estas cidades não são a capital do país onde estão

" gallery_id="62ed6018c012ad099a0000d3" url_iframe_gallery="noticias.r7.com/internacional/urso-polar-fere-turista-em-arquipelago-noruegues-no-artico-08082022"]

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.