Minas Gerais "Achei que era bombinha", diz testemunha que filmou tiroteio em festa julina de Uberlândia (MG)

"Achei que era bombinha", diz testemunha que filmou tiroteio em festa julina de Uberlândia (MG)

Mulher começou a gravar quadrilha momentos antes dos tiros; três pessoas permanecem internadas

A mulher que filmou o instante dos tiros na festa do exército, em Uberlândia, a 540 km de Belo Horizonte, que terminou com duas pessoas mortas, na última sexta-feira (14), contou sobre os momentos de pânico vividos por ela e os outros participantes. 

· Compartilhe esta notícia no WhatsApp
· Compartilhe esta notícia no Telegram

Stephanie morreu após disparos de Isaque  Silva

Stephanie morreu após disparos de Isaque Silva

Reprodução/RecordTV Minas

Segundo a testemunha, que preferiu não se identificar, ela começou a gravar a festa porque estava achando o momento da dança bonito. “Eu achei muito interessante, porque é uma dança bem diferente, né, de adultos mesmo. E aí eu comecei a gravar."

Logo após ela começar a filmagem, o tiroteio começou. "No momento que eu comecei, depois de uns 5 minutos, eu já escutei o primeiro tiro. E nisso eu assustei, achei que era uma bombinha, uma coisa parecida. Aí eu olhei pra trás, todo mundo assustado. No segundo tiro, já todo mundo correu”, contou. 

Segundo ela, o momento durou cerca de 15 minutos. “Todo mundo gritando, todo mundo assustado, uma correria danada”. Ela correu para se esconder e por isso não viu as vítimas. 

Ao menos três delas foram levadas para o Hospital de Clínicas de Uberlândia. A unidade de saúde não divulgou o quadro clínico dos pacientes.

Relembre o caso 

O evento, com aproximadamente 500 pessoas, foi realizado no Gressu (Clube Militar dos Subtenentes e Sargentos de Uberlândia), na noite desta sexta-feira (14). A quadrilha foi interrompida por um tiroteio. O atirador era um sargento da corporação que queria ter um relacionamento com Stephanie da Silva Magalhães, de 26 anos, e não era correspondido.

Isaque Frederico Silva atirou contra a militar e o namorado dela. Stephanie morreu no local. um policial penal à paisana que participava da festa atirou em Isaque para evitar que mais pessoas fossem atingidas. O sargento também veio a óbito.

Últimas