Minas Gerais Ao voltar da padaria, homem encontra a mãe morta e com sinais de agressão dentro de casa em BH

Ao voltar da padaria, homem encontra a mãe morta e com sinais de agressão dentro de casa em BH

Família suspeita de possível envolvimento de primos da vítima, que estariam interessados em um terreno da mulher

  • Minas Gerais | Helen Oliveira e Shirley Barroso, da Record TV Minas

Vítima morava no bairro Bonfim, em BH

Vítima morava no bairro Bonfim, em BH

Reprodução / Record TV Minas

Uma idosa de 67 anos foi encontrada morta na manhã desta segunda-feira (17), dentro da casa onde vivia no bairro Bonfim, na região noroeste de Belo Horizonte.

O corpo de Maria Emilia Pena foi achado pelo filho. O homem disse à polícia que havia deixado o imóvel pouco antes para ir à padaria. Segundo ele, ao retornar, a mãe estava sem vida e com marcas de golpes na cabeça. Até o momento, ninguém foi preso. O caso é investigado pela Polícia Civil.

Ao perceber o que havia ocorrido, o filho de Maria Emília ligou para Leandro Monteiro Gráfico, enteado da idosa. A mulher teve um relacionamento de 15 anos com o pai de Gráfico. As circunstâncias da morte chamou atenção do enteado, já que o pai dele também foi encontrado morto na mesma casa na última segunda-feira (10).

· Compartilhe esta notícia no Whatsapp
· Compartilhe esta notícia no Telegram

Leandro Gráfico suspeita de possível envolvimento de dois primos de Maria Emilía, que estariam frequentando a residência recentemente, interessados em um lote que a idosa tinha na cidade de Nova Era, a 137 km da capital mineira.

"Na segunda-feira, eu cheguei para dar comida para o meu pai e o encontrei morto na cama. Na quinta-feira, esse cara invadiu a casa e disse que era dele, mas casa é alugada, estava sob minha responsabilidade e eu falei que iria devolvê-la", detalhou.

No sábado (15), os dois homens teriam voltado e houve mais confusão. A trinca do portão já havia sido trocada. Gráfico relata que precisou arrombar o portão. A Polícia Militar foi chamada.

O filho de Maria Emília não morava com a idosa. Segundo a família, estava na casa nos últimos dias para acompanhar a mudança da mãe, já que o imóvel seria devolvido locador. O homem não quis gravar entrevista.

A Polícia militar registrou boletim de ocorrência e os peritos da Polícia Civil estiveram no local. Os investigadores iniciaram o recolhimento de depoimentos.

Morte do marido

A família conta que o pai de Gráfico, segundo constatou o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), teve morte natural. O idoso teria passado mal. O filho relatou a existência de vestígios de sangue, mas teria sido informado que o material era em decorrência de vômito.

"Meu pai morreu na segunda passada e a Maria Emilia morreu na outra segunda. Este caso está muito estranho", questionou Gráfico.

O pai de Gráfico era cadeirante. Maria Emília era deficiente visual. Eles tinham um relacionamento de 15 anos, mas viviam juntos na casa do bairro Bonfim há sete meses.

Últimas