Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

'Ele ficou desnorteado', diz advogada de homem suspeito de atropelar a esposa em BH 

Segundo parentes e amigos, o casal não tinha problemas no relacionamento, e ele não teria motivos para matar a mulher

Minas Gerais|Priscilla de Paula, da Record TV Minas

Caminhoneiro fugiu sem prestar socorro
Caminhoneiro fugiu sem prestar socorro Caminhoneiro fugiu sem prestar socorro

A advogada de defesa do caminhoneiro preso sob a suspeita de ter atropelado e matado a própria esposa alega que o atropelamento foi um acidente. A Polícia Civil realizou uma entrevista coletiva sobre o caso nesta terça-feira (7).

O incidente aconteceu na última quinta-feira (2), no Anel Rodoviário, no bairro Olhos D´Água, na região do Barreiro, em Belo Horizonte. Jaqueline Miranda Evangelista Ferreira, de 39 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

O homem que conduzia o caminhão era o marido da vítima, David de Castro Ferreira, que fugiu sem prestar socorro. Em imagens divulgadas pela Polícia Civil, é possível ver que o veículo reduz a velocidade após o atropelamento, mas depois disso, vai embora.

A mulher estava junto com a filha do casal, de apenas 6 anos. A menina não ficou ferida e foi amparada por um frentista que viu toda a cena. O motorista alega que não viu a criança.

Publicidade

Segundo a advogada de David, Kely Cardoso, ele chegou a entrar em contato com a família de Jaqueline para dizer que o atropelamento foi um acidente. "Ele ficou desnorteado, já pensou ver a pessoa que você ama debaixo do caminhão, nem a família dela é contra ele", relatou Kelly. 

Segundo parentes e amigos, Jaqueline e David não tinham problemas no relacionamento, e ele não teria motivos para matar a mulher.

Publicidade

De acordo com a advogada do caminhoneiro, Jaqueline tinha o hábito de interceptar o caminhão e, em outra ocasião, ela teria entrado na frente do veículo. David foi preso em casa, em Contagem, na Grande BH. A defesa do caminhoneiro disse que ele já queria ter se entregado antes, mas estava muito abalado. 

David se entregou, prestou depoimento e em seguida foi levado para a cadeia. A Polícia Civil ainda vai ouvir outras pessoas e realizar exames periciais para concluir o que aconteceu. A advogada de defesa diz que entregou o celular de David à polícia e que vai pedir a revogação da prisão temporária dele.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.