Minas Gerais Homem que salvou motorista que caiu em rio vira herói do bairro

Homem que salvou motorista que caiu em rio vira herói do bairro

O vendedor Alexandre Francisco desceu por uma corda até o leito do rio e apagou as chamas de um carro onde um motorista estava preso

  • Minas Gerais | Vinicius Araújo, da RecordTV Minas

Alexandre ficou sabendo que um carro tinha caído e pulou no rio para ajudar

Alexandre ficou sabendo que um carro tinha caído e pulou no rio para ajudar

Reprodução / Record TV Minas

Um vendedor de tecidos de Belo Horizonte foi alçado ao posto de herói da vida real depois de ter ajudado no resgate de um motorista que perdeu o controle do carro e caiu no leito do ribeirão Arrudas, na capital mineira, no último fim de semana. 

Alexandre Francisco, que é morador do bairro Salgado Filho, na região Oeste, estava na casa de um amigo e não teve dúvidas do que fazer quando ficou sabendo do acidente.

— Chegando no local, a gente constatou que tinha um carro e que, por se tratar de um domingo, poderia haver família dentro do carro. Então eu me imaginei ali com a minha família e não pensei duas vezes e entrei para dentro do rio para salvar as pessoas que estavam lá dentro. 

As imagens do resgate, que viralizaram, mostram o momento em que Alexandre desce por uma corda próximo do carro, que está pegando fogo e com muita fumaça.

Com um extintor, ele consegue apagar as chamas e, mais tarde, com ajuda de outros homens e uma barra de ferro, a porta do carro é aberta e o motorista é retirado de lá.

— Eu pedi o pessoal que tava em cima para mandar um extintor para a gente apagar o fogo. Foi aí que eu vi que a situação era mais grave do que estava parecendo e pedi para que mais pessoas descessem no leito do rio para ajudar a abrir a porta, que estava emperrada. 

O resgate terminou após a chegada dos bombeiros. Duas pessoas ficaram feridas e foram socorridas por macas: um homem que tentou ajudar e acabou ficando ferido na descida e o motorista do carro, que foi levado para o hospital e sobreviveu graças à ajuda do Alexandre.

O vendedor acredita que não foi inconsequente quando entrou na água suja. É que ele tem experiência. 

— Ali tem um campinho que a gente brinca no final de semana e, às vezes a bola acaba caindo no rio. E, para não perder a bola e não perder o dia, a gente desce aqui, pega a bola e volta. 

Últimas