Minas Gerais Justiça bloqueia R$ 3 mi mensais do poder público para salário de enfermeiros da Santa Casa de BH

Justiça bloqueia R$ 3 mi mensais do poder público para salário de enfermeiros da Santa Casa de BH

Medida foi adotada após hospital questionar falta de recursos para cumprir o novo piso nacional da categoria

Hospital Santa Casa de Belo Horizonte

Hospital Santa Casa de Belo Horizonte

Reprodução / Google Street View

A Justiça Federal em Belo Horizonte determinou o bloqueio mensal de R$ 3 milhões nas contas do poder público que devem ser destinados à Santa Casa de BH para o pagamento do reajuste salarial determinado pelo Governo Federal para os enfermeiros.

A decisão é desta sexta-feira (12) e atende a um pedido do hospital contra a aprovação do novo piso salarial da categoria, no valor de R$ 4.750, aprovado em agosto deste ano.

A Santa Casa alegou que a Lei 14.434/2022 foi aprovada sem "a indicação de fonte de custeio" para o aumento. A direção do hospital também o orçamento da instituição não seria suficiente para pagar a folha de pagamento dos profissionais, caso não houvesse uma complementação por parte dos governos municipais, estaduais e federais.

Na decisão, a 17ª Vara da Justiça Federal de Belo Horizonte assegura que a instituição deverá receber o aporte o sem que haja quaisquer descontos em futuros repasses para a instituição

O valor será adicionado à folha de pagamento das unidades que fazem parte do grupo. São elas:

    • Hospital Emydio Germano
    • Maternidade Hilda Brandão
    • Centro de Especialidades Médicas Dario Faria Tavares
    • Clínica dos Olhos Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte
    • Instituto de Oncologia da Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte
    • Centro de Tratamento e Diagnóstico da Santa Casa de BH
    • Instituto de Nefrologia Santa Casa BH
    • Centro de Transplantes da Santas Casa de BH.

Em nota, a Santa Casa argumenta que “não mede esforços para cumprir a legislação, adquirir melhores condições de trabalho para os seus funcionários e prestar assistência em saúde acessível e de qualidade para todos”.

Procurada, a Prefeitura de Belo Horizonte afirmou que ainda não foi notificada. O Governo de Minas Gerais afirmou que não comenta ações judiciais e que se pronunciará nos autos dos processos quando for intimado. A reportagem procurou o Mininistério da Saúde e aguarda retorno.

* Estagiária sob supervisão de Pablo Nascimento 

Últimas