Minas Gerais PM atira em ex-padrasto durante resgate de criança mantida refém por 16 horas em BH

PM atira em ex-padrasto durante resgate de criança mantida refém por 16 horas em BH

Homem manteve ex-enteado e um amigo da família reféns por mais de 16 horas; ele não aceitava o fim do casamento

  • Minas Gerais | Ana Gomes, Do R7

Leandro foi atingido por disparo de arma de fogo

Leandro foi atingido por disparo de arma de fogo

RecordTV Minas/Reprodução

A criança de 7 anos que foi mantida refém por mais de 16 horas pelo ex-padrasto, em Belo Horizonte, foi resgatada na manhã desta quinta-feira (22). A Polícia Militar chegou a dizer que Leandro Mendes Pereira, de 39 anos, foi morto, mas voltou atrás e disse que ele está em estado grave. 

Um jovem de 23 anos, amigo da família, que também foi feito refém por mais de 16 horas, foi liberado. A porta-voz da PM, a major Layla Brunnela, disse que o acusado não queria negociar depois que viu mensagens no celular da ex-mulher, mãe da criança.

“Ele teve acesso ao celular da ex-mulher e teve contato com mensagens e imagens que o deixaram com o ânimo exaltado. A partir dali, ele começa a interromper o processo de negociação e começa com uma ameaça direta à vida desse menor”, disse. 

Ainda segundo a major, ele foi atingido por um disparo e "eliminado". “Nós utilizamos o sniper. Ele foi eliminado. A gente lamenta muito, porque não é o desfecho de que gostaríamos, mas foi o desfecho possível para salvar a vida desses reféns", informou, logo após o resgate. 

A reportagem da Record TV Minas, porém, confirmou no local que o suspeito foi levado ainda com vida a uma ambulância. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) também informou que ele foi socorrido ao hospital, sem confirmar a morte.

Pereira se relacionou por seis anos com a ex-mulher, de 25 anos, e estava separado dela havia dois meses. Na tarde desta quarta-feira (21), ele foi até a casa em que vivia com ela e invadiu o imóvel, às 18h, quando a criança voltava da escola na companhia do jovem amigo da família. 

Quando a mãe do menino chegou do trabalho, ela também foi presa na casa, mas conseguiu fugir. Durante as negociações, Pereira disse que só liberaria os reféns depois que a ex-esposa voltasse ao local. "Ele está bem. Está deitado aqui, tomando iogurte. Eu só vou liberar quando ela chegar e se o pessoal não fizer gracinha", disse, em áudio enviado ao pai da criança. 

Últimas