Minas Gerais Prefeitura amplia vacinação contra Covid-19 e inicia imunização contra gripe em BH  

Prefeitura amplia vacinação contra Covid-19 e inicia imunização contra gripe em BH  

Imunizantes estão disponíveis, a partir desta segunda-feira (03), nos 152 centros de saúde da capital e em dois postos extras

  • Minas Gerais | Do R7

Não há contraindicação em tomar, no mesmo dia, a vacina da gripe e outros imunizantes

Não há contraindicação em tomar, no mesmo dia, a vacina da gripe e outros imunizantes

Divulgação/PBH/Adão de Souza

A Prefeitura de Belo Horizonte inicia, nesta segunda-feira (3), a Campanha de Vacinação contra a gripe e a imunização contra a covid-19 com a vacina bivalente em trabalhadores da saúde. 

Na primeira etapa da imunização contra gripe, serão vacinados idosos a partir de 80 anos, população acamada e residente nas instituições de longa permanência, gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto), além dos imunossuprimidos e trabalhadores que atuam nos centros de saúde, UPAs e hospitais.

As vacinas estão disponíveis nos 152 centros de saúde da capital e em dois postos extras. Para a vacinação contra gripe, os acamados devem fazer o cadastro on-line para receber os imunizantes. A vacinação dos residentes de instituições de longa permanência (ILPI) será realizada pelas equipes dos centros de saúde, de acordo com cronograma específico das unidades.

Os demais grupos serão convocados ao longo das próximas semanas. A campanha vai até 31 de maio. A vacinação contra gripe pretende reduzir as complicações, as internações e a mortalidade decorrentes das infecções pelo vírus. O imunizante protege contra três vírus (H1N1, H3N2 e vírus influenza B). 

Para receber a vacina, é necessário apresentar documento de identidade e cartão de vacina. As puérperas devem apresentar documento como certidão de nascimento, cartão da gestante, documento do hospital onde ocorreu o parto, entre outros. Os trabalhadores da saúde devem apresentar documento que comprove a atividade na área em BH.

São considerados imunossuprimidos, as pessoas com as seguintes condições:

- Imunodeficiência congênita ou adquirida;

- imunossupressão por doenças ou medicamentos;

- Imunodeficiência primária grave;

- Quimioterapia para câncer;

- Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras;

- Pessoas vivendo com HIV/Aids;

- Uso de corticoides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias;

- Uso de drogas modificadoras da resposta imune, como Metotrexato, Leflunomida, Micofenolato de mofetila, Azatiprina, Ciclofosfamida, Ciclosporina, Tacrolimus, 6-mercaptopurina, Biológicos em geral (infliximabe, etanercept, humira, adalimumabe, tocilizumabe, Canakinumabe, golimumabe, certolizumabe, abatacepte, Secukinumabe, ustekinumabe) Inibidores da JAK (Tofacitinibe, baracitinibe e Upadacitinibe).

- Auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias;

- Pacientes em hemodiálise;

- Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas.

Vacinação contra Covid-19 

Para receber a dose bivalente contra a Covid-19, os trabalhadores da saúde precisam ter concluído o esquema primário completo de duas doses com as vacinas monovalentes, respeitando o intervalo mínimo de 4 meses da última dose de vacina contra Covid-19 monovalente recebida.  

Os profissionais da saúde devem comprovar atuação em estabelecimentos de Belo Horizonte e apresentar um documento de identidade com foto e CPF, além do cartão de vacinas e não ter tido covid-19 com início de sintomas nos últimos 30 dias.

Não há contraindicação em tomar, no mesmo dia, a vacina da gripe e outros imunizantes, como a vacina da Covid-19.

Últimas