Minas Gerais Procurador é suspeito de atirar em professora em briga de trânsito

Procurador é suspeito de atirar em professora em briga de trânsito

De acordo com a polícia, o suspeito estava com sinais de embriaguez; a mulher conseguiu se esconder em uma garagem e não foi atingida

  • Minas Gerais | Virgínia Nalon, da Record TV Minas

Um procurador de Justiça aposentado é suspeito de atirar contra uma professora após uma briga de trânsito, na noite desta quinta-feira (1°), no bairro Santo Antônio, na região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Imagens de câmeras de segurança de um prédio registraram todo o ocorrido. Um veículo bate na traseira do outro. O veículo atingido é da professora Simone Vaz.

— Eu saí para jantar com minha companheira e depois peguei meu carro para ir para casa. Um veículo estava parado na minha frente. Eu buzinei e alertei para ele sair quando um veículo que estava trás bateu no meu carro.

As imagens ainda mostram que o veículo que bateu no carro de Simone seguiu a mulher até o momento em que ela se preparava para entrar na garagem do prédio onde mora.

— Eu dei seta para entrar para minha casa e ele me seguindo, esbarrando no meu carro, bateu no meu veículo e eu com muito medo.

De acordo com a professora, o motorista saiu do veículo após a batida e tentou agredí-la, além de ofender a mulher.

— Ele bateu na traseira do meu carro. Eu saí para ver o estrago e ele também saiu querendo me agredir, me chamando de sapatona e eu perguntei se tinha algum problema com isso.

Suspeito apresentava sinais de embriaguez

Suspeito apresentava sinais de embriaguez

Reprodução/Record TV Minas

Ainda segundo ela, o homem, que continou com as ameaças, parecia estar embriagado, além de ter sacado uma arma para a mulher.

— Durante a discussão, ele falou "ah sua sapatona, eu vou te matar", e eu não entendi muito bem. Eu reparei que ele estava um pouco bêbado, estava trocando as pernas. Ele entrou no carro, foi no porta-luva e tirou uma arma.

Imagens gravadas por vizinhos mostraram o momento em que a mulher e a companheira entram para dentro da garagem, quando o homem corre em direção ao local e atira contra elas.

Segundo a professora, ela e a companheira se esconderam atrás de uma pilastra dentro da garagem com medo de serem atingidas pelos disparos.

— Eu podia ter levado esse tiro. Eu vi a arma na mão dele, que atirou em direção a muitas pessoas que estavam na garagem. Ele estava completamente descontrolado, bêbado e desequilibrado. Eu nunca vi uma situação dessa na minha vida.

Ainda no vídeo gravado por moradores, o homem volta para o carro após fazer o disparo. Outras pessoas que acompanhavam a confusão na rua gritam e uma delas atira uma pedra contra o carro do suspeito.

As imagens mostram que mesmo com o para-brisas quebrado, ele arranca o veículo, faz o retorno e vai embora. De acordo com a PM (Polícia Militar), ele foi parado por uma viatura poucos metros do local do ocorrido.

A polícia descobriu que o suspeito na verdade é um procurador de Jusitça aposentado, Bertoldo Mateus Oliveira, de 59 anos, que foi contido pelos militares.

Segundo a PM, o procurador estava bastante alterado e discutiu com alguns agentes. A corporação informou que ele apresentava sinais de embriaguez, mas se recusou a fazer o teste do bafômetro.

A arma utilizada para fazer o disparo contra as mulheres foi apreendida pela polícia. A corporação informou que o veículo foi entregue para um parente habilitado e um delegado foi chamado por um outro procurador geral para cuidar do caso.

Outro lado

Procurado, o MPMG (Ministério Público de Minas Gerais) informou que Oliveira prestou esclarecimentos e foi liberado após pagar fiança. Como o procurador não tem antecendentes criminais, ele nao ficou preso.

Ainda segundo o MP, o procurador-geral de Justiça encaminhou o caso para o TJMG (Tribunal de Jusitça de Minas Gerais) para registro, em razão do foro especial que Oliveira possui em razão de sua função.

A reportagem tenta entrar em contato com o procurador para comentar sobre o caso. 

Últimas