Minas Gerais 'Vim pronto para morrer', alertou sequestrador de criança em BH

'Vim pronto para morrer', alertou sequestrador de criança em BH

Leandro Mendes Pereira, de 39 anos, mandou um áudio para parentes em que diz que não pretendia desistir do ataque

  • Minas Gerais | Do R7, com Record TV Minas

Leandro estaria insatisfeito com o fim do relacionamento

Leandro estaria insatisfeito com o fim do relacionamento

Reprodução / Record TV Minas

O homem baleado após manter o ex-enteado, de 7 anos, e um jovem, de 23 anos, como reféns em Belo Horizonte enviou áudios à família, durante o sequestro, em que dizia que não temia o que poderia acontecer com ele.

“Eu não tenho medo de homem nenhum. Eu já vim pronto para morrer, irmão. Eu estou com 39 anos. Os últimos seis anos foram gastos nesse casamento meu. Fazendo o que eu podia, da forma que eu podia. Mesmo assim, não deu. Vacilou geral comigo. Eu estou transtornado”, disse Leandro Mendes Pereira, de 39 anos, na gravação. Ouça o áudio:

De acordo com a PM (Polícia Militar), o término do relacionamento motivou o sequestro. O alvo de Pereira era a ex-esposa. O homem ficou aguardando a mulher na porta do apartamento onde moravam juntos.

Quando o filho da ex-companheira, que é sua prima, chegou com um colega da família, Pereira pegou os dois como reféns. A mulher chegou em seguida, mas conseguiu fugir.

A polícia tentou negociar durante toda a madrugada. Na manhã desta quinta-feira (22), um sniper atirou no sequestrador, após ele aumentar o tom das ameaças contra a criança, afirmando que iria matar os dois reféns.

“Ele, em momento nenhum, negociou. Em momento nenhum, pediu nada no sentido de ‘vou me acalmar, vou resolver a situação de outra maneira'. Ele sempre foi enfático. Deixou claro que mataria todo mundo e se mataria também. Queria a presença da ex-mulher para essa execução”, explicou a major Layla Brunella, porta-voz da PM de Minas Gerais.

Pereira foi atingido no rosto e levado para o Hospital João 23. Ele deve passar por uma cirurgia, mas não corre risco de morrer.

Veja mais detalhes sobre o caso:

Últimas