Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Monitor7
Publicidade

Arthur Singer, do 'Canta Comigo Teen', morreu de AVC causado pela vacina contra Covid-19?

Circulam rumores nas redes sociais de que o imunizante teria provocado o acidente vascular que vitimou o adolescente

MonitoR7|Do R7

Arthur Singer cantando a música 'Carimbador Maluco' no palco do 'Canta Comigo Teen', em 2021
Arthur Singer cantando a música 'Carimbador Maluco' no palco do 'Canta Comigo Teen', em 2021 Arthur Singer cantando a música 'Carimbador Maluco' no palco do 'Canta Comigo Teen', em 2021

Sucesso na segunda edição do Canta Comigo Teen 2 (2021), da Record TV, Arthur Singer, de 13 anos, morreu na última quinta-feira (6) vítima de um AVC (acidente vascular cerebral), mas há muita especulação na internet que diz que o problema cerebral do cantor teria sido provocado pela vacina contra a Covid-19.

A causa da morte de Arthur, de fato, pegou todos de surpresa; afinal, não é nem um pouco comum uma pessoa tão jovem ser vítima desse tipo acidente vascular. O AVC, popularmente conhecido como derrame, é uma das principais causas de morte em adultos, mas é bem raro em jovens e crianças.

Assim, quando foi divulgado o que levou o adolescente a óbito, imediatamente começaram a circular posts nas redes sociais que afirmavam que a vacina seria a causa de sua morte. Até mesmo no perfil de Arthur no Instagram foram postados comentários pondo a culpa no imunizante. Um usuário escreveu "vachina". Outra pessoa postou na conta do cantor: "Muito jovem. Como tantos jovens estão sendo vitimados por AVC. Algo estranho acontecendo".

Sobre o assunto, Meire Adriane, mãe do cantor, disse, segundo reportagem do Fala Brasil, que um exame detectou uma malformação cerebral em seu filho que nunca havia sido vista. Meire afirmou ainda que Arthur nunca reclamou de dores de cabeça nem fez outro tipo de queixa referente à saúde.

Publicidade

Veja a reportagem do Fala Brasil:

Esta informação, dada por Meire, desmente prontamente as diversas postagens nas redes sociais que questionavam como alguém tão jovem tenha tido "um AVC, assim, do nada?". Como é possível notar, o problema cerebral do cantor não aconteceu "do nada", e a malformação não descoberta pelos médicos foi o causador da morte do artista.

Publicidade

Os rumores de que as vacinas contra a Covid causam efeitos colaterais graves, como AVC e problemas no coração, circulam desde que os primeiros imunizantes passaram a ser ministrados na população mundial, ainda no fim de 2020. Tanto a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) quanto órgãos internacionais e a OMS já vieram a público desmentir rumores de que as vacinas provocariam acidentes cerebrais ou miocardite (inflamação da membrana do coração). É possível, sim, que haja alguns efeitos colaterais gerados a partir da aplicação do imunizante, mas, segundo autoridades médicas, os benefícios da vacina superam em muito questões adversas.

O CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças), órgão regulador dos Estados Unidos, divulgou em janeiro os resultados de uma pesquisa sobre a ligação entre vacinas e AVC, já que havia uma suspeita de que a dose de reforço poderia ter causado o acidente vascular em pessoas mais velhas. A conclusão do estudo mostrou que não há relação direta entre a vacina e o AVC.

Após o sepultamento de Arthur, a mãe disse que os órgãos de seu filho seriam doados: "Como serva do Senhor, estou com a sensação de dever cumprido. Nas últimas palavras na Terra, ele me disse que só precisava do Senhor. Eu o devolvo arrasada, porém em paz, que, de estéril, fui mãe do Arthur e, através dele e com ele, estou frutificando na vida de crianças que receberão os seus órgãos e viverão".

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.