Autos Carros Chevrolet anuncia preço do SUV Blazer elétrico (e ele custa mais que um Tesla)

Chevrolet anuncia preço do SUV Blazer elétrico (e ele custa mais que um Tesla)

Novidade chega em quatro versões, com três motores: SS terá preço divulgado só em 2024

  • Autos Carros | Marcos Camargo Jr

Resumindo a Notícia
  • Novidade chega nas versões LT2, RS com duas opções e SS, que não teve preço revelado.

  • Expectativa era de preço similar ao do Tesla Model Y.

  • Motor elétrico tem 562 cv com 400 km de autonomia na versão SS.

  • SUV não terá Apple Car Play e Android Auto; vai oferecer sistema desenvolvido com o Google.

Blazer EV chegará ao mercado americano ao longo de 2024

Blazer EV chegará ao mercado americano ao longo de 2024

Chevrolet Divulgação

A Chevrolet anunciou os preços do SUV Blazer, que tem previsão de lançamento no mercado brasileiro para 2024. Os valores divulgados surpreenderam por serem mais elevados do que o esperado, alinhando-se à tendência observada nos demais modelos elétricos. De acordo com a GM, o Blazer será posicionado como concorrente direto do Tesla Model Y.

Visual arrojado do Blazer EV, que terá efetivamente três versões com quatro opções

Visual arrojado do Blazer EV, que terá efetivamente três versões com quatro opções

Chevrolet Divulgação

O Blazer estará disponível em versões, 2LT, RS e SS. Inicialmente, a expectativa de preço era de aproximadamente US$ 45 mil. No entanto, com o anúncio oficial da GM, foi confirmado que o modelo de entrada, equipado com um motor de 292 cv, 46 kgfm de torque e autonomia de 400 km (de acordo com o ciclo americano EPA), terá custo de US$ 56.715, equivalente a cerca de R$ 280 mil. Isso representa um acréscimo de aproximadamente 20% em relação ao valor de um Tesla.

Chevrolet Divulgação

A versão RS AWD será comercializada por US$ 60.215, aproximadamente R$ 300 mil, quando considerada a conversão direta dos valores. Diferentemente da LT2, a variante RS possui maior potência e oferece motor de 345 cv, 44,9 kgfm de torque e autonomia de 400 km.

Versão RS deve ser a mais vendida no mercado americano

Versão RS deve ser a mais vendida no mercado americano

Chevrolet Divulgação

Aqueles que optarem pela versão RS com tração traseira (RWD) poderão adquiri-la pelo preço sugerido de US$ 61.790, equivalente a pouco mais de R$ 305 mil. Essa versão promete autonomia de 500 km.

Interior do Blazer RS sem elementos esportivos que estarão presentes na SS

Interior do Blazer RS sem elementos esportivos que estarão presentes na SS

Chevrolet Divulgação

A versão topo de linha, o Blazer SS, apresentará um visual diferenciado e está programada para estrear somente no segundo semestre do próximo ano. A GM confirmou que o Blazer SS será impulsionado por dois motores elétricos, totalizando 565 cv.

No entanto, os preços dessa versão devem ser divulgados apenas próximo ao lançamento. As baterias adotadas são do tipo íons de lítio resfriadas, enquanto o motor é do tipo ímã síncrono permanente. A capacidade de entrada de carga varia entre 11 kW e 150 kW para sistemas de recarga de alta potência.

Blazer SS é a versão topo de linha do SUV elétrico, mas preços não foram revelados

Blazer SS é a versão topo de linha do SUV elétrico, mas preços não foram revelados

Chevrolet Divulgação

Independentemente da versão escolhida, as dimensões permanecem inalteradas: 4,88 m de comprimento, entre-eixos de 3,09 m, largura de 1,98 m e altura de 1,65 m. O volume de carga atinge 1.698 litros com os bancos rebatidos ou 736 litros no porta-malas. Quanto ao peso em ordem de marcha do Blazer EV, varia entre 2.427 kg e 2.563 kg.

Interior do Blazer SS com elementos esportivos na parte interna

Interior do Blazer SS com elementos esportivos na parte interna

Chevrolet Divulgação

O visual do SUV elétrico já foi revelado. No entanto, a GM confirmou que o Blazer não contará com Apple CarPlay e Android Auto. Em vez disso, a GM oferecerá a conexão Ultifi, desenvolvida em parceria com o Google, visando aprimorar a conectividade do veículo com os sistemas semiautônomos.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas