Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Christina Lemos - Blogs
Publicidade

Lula insiste em viagem à China, e missão é vista como estratégica

Comitiva de 240 empresários tem presença forte do agronegócio e é chance de aproximação com o setor

Christina Lemos|Do R7

O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e o líder chinês, Xi Jinping: encontro mantido para a terça (28)
O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e o líder chinês, Xi Jinping: encontro mantido para a terça (28) O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e o líder chinês, Xi Jinping: encontro mantido para a terça (28)

De acordo com fontes na diplomacia brasileira, o próprio presidente Lula insiste em manter a viagem à China, o que ainda depende de uma última avaliação médica, que ocorrerá amanhã. O presidente foi diagnosticado com pneumonia leve e está sendo tratado com antibióticos. A missão é considerada uma das mais importantes do ano, se não de todo o mandato.

Acompanham Lula 240 empresários de vários setores — o que inclui um grupo peso-pesado de quase 100 representantes do agronegócio. Este aspecto da viagem presidencial é visto como de importância estratégica, não só como forma de captar negócios, como também de gerar aproximação entre o presidente e o setor da economia que é base eleitoral de Jair Bolsonaro. Os custos da comitiva empresarial são bancados pelos próprios participantes. O Itamaraty apenas coordena a missão.

Fazem parte da comitiva oficial do governo brasileiro os principais integrantes da equipe econômica, entre eles o próprio ministro da Fazenda, Fernando Haddad. A ex-presidente Dilma Rousseff também acompanhará Lula, e será apresentada como futura presidente do Banco dos Brics, cargo que assumirá em breve.

A partida, que estava prevista para sábado, foi adiada para domingo. A maioria dos compromissos oficiais com representantes do governo chinês está mantida, inclusive o encontro com o presidente Xi Jinping, previsto para a terça (28). 

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.