Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Christina Lemos - Blogs
Publicidade

Lula prepara desmembramento do Ministério do Desenvolvimento Social

Anúncio pode ocorrer nesta sexta-feira (1º) . Medida busca atender setores do centrão. Bolsa Família fica com PT

Christina Lemos|Do R7

Wellington Dias deverá ficar com Bolsa Família
Wellington Dias deverá ficar com Bolsa Família Wellington Dias deverá ficar com Bolsa Família

O presidente Lula está convencido da necessidade de partilhar as ações sociais do governo federal com aliados de legendas do centrão, os quais deseja atrair para a base parlamentar do Planalto. A separação da gestão de convênios com ONGs, estados e prefeituras da pasta do Desenvolvimento Social, hoje sob o comando de Wellington Dias (PT-PI), é dada como certa, nesta quarta-feira.

Parte das mudanças, que já se consolida entre as cúpulas tanto do PT quanto do PP, de Arthur Lira, pode ser anunciada na sexta-feira (1º). O presidente levou cerca de dois meses para tornar palatável ao PT a ideia da partilha do poder na área social. Para isso, prometeu que a gestão do Bolsa Família, programa que é símbolo do partido, continuará sob o comando da legenda, provavelmente com Wellington Dias.

O acerto envolve amplas camadas do PP e leva opositores públicos do governo a já se anteciparem na divulgação da própria atuação na área social. Adversário de Dias no Piauí, o senador e ex-ministro Ciro Nogueira divulgou hoje a liberação de R$ 21 milhões em emendas para atender a ações de saúde em 97 municípios do estado.

O acerto entre o presidente e seu ministro prevê assegurar visibilidade a Wellington Dias, como atestado de prestígio do petista, garantidor de expressiva votação em favor de Lula no Piauí.

Publicidade

Após reunião nesta manhã, o presidente acertou sua ida ao estado para prestigiar, ao lado do ministro, o lançamento do Plano Brasil sem Fome, com a promessa de erradicação da pobreza no Brasil.

Os recursos “são fruto de emendas de bancada na modalidade de custeio”, explica o senador, que mantém postura pública de oposição ao governo. Como presidente do PP, o ex-ministro de Bolsonaro, no entanto, acompanha de perto os acertos entre Lula e o presidente da Câmara pela aproximação da legenda ao governo.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.