Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Christina Lemos - Blogs
Publicidade

STF: escolha de Zanin, prevista para esta semana, mobiliza opositores

Indicação do preferido de Lula para vaga no Supremo será combatida por alas políticas e setores da comunidade jurídica ligados a Bolsonaro

Christina Lemos|Do R7

Zanin: contagem regressiva para a indicação, após quase dois meses de espera
Zanin: contagem regressiva para a indicação, após quase dois meses de espera Zanin: contagem regressiva para a indicação, após quase dois meses de espera

A possível confirmação da indicação de Cristiano Zanin para o Supremo Tribunal Federal, prevista para esta semana, já enfrenta a mobilização de setores conservadores na política e na comunidade jurídica contrários à escolha do ex-advogado de Lula para a Suprema Corte. O presidente deu sinais de que deve confirmar Zanin no posto, vago há quase dois meses, após a aposentadoria de Lewandowski.

Para aliviar a pressão de aliados pela escolha de uma magistrada negra para a vaga e também por nomes da preferência de outros ministros, como Alexandre Moraes e o próprio Lewandowski, Lula adiou ao máximo a confirmação de Zanin, que agora seria iminente. A notícia mobiliza opositores à indicação, como a Associação Brasileira de Juristas Conservadores, que reúne nomes como Ives Gandra Filho e Thiago Rafael Vieira, e o Instituto Brasileiro de Direito e Religião, além de ex-ministros de Bolsonaro, como Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Marcelo Queiroga (Saúde).

A estratégia dos contrários à indicação de Zanin é articular a resistência com as bancadas parlamentares da oposição, principalmente no Senado, onde haverá a sabatina do ex-advogado de Lula. Líderes do Planalto trabalham para mapear a possível rejeição ao indicado, "construir a aprovação", para só então dar o sinal verde para a oficialização de Zanin.

Para reduzir insatisfações, esses líderes argumentam para insatisfeitos, entre moderados e apoiadores do governo, que as atuais demandas podem ser atendidas na próxima indicação de Lula ao STF, prevista para outubro, com a aposentadoria de Rosa Weber. As primeiras avaliações são de que o petista não poderá escapar da pressão por substituir a ministra por outra mulher, e, nesse caso, “fazer história”, com a possível indicação da primeira negra para a mais alta corte de Justiça do país.

Publicidade

Uma vez confirmada a indicação presidencial, Zanin terá superado outros cotados para a vaga, todos com padrinhos poderosos. Felipe Salomão, do STJ, é o nome favorito de Alexandre de Moraes. Mas a questão estaria pacificada, após acordo costurado pessoalmente por Lula com o ministro. O acerto previu a confirmação imediata dos novos integrantes do TSE — como sinal de apoio à gestão de Moraes no comando da corte superior eleitoral.

Manuel Carlos, nome favorito de Lewandowski, e Bruno Dantas, do TCU, também são cotados para a 11ª cadeira no STF, mas a escolha de Lula já estaria consolidada pelo advogado que o acompanhou durante as acusações da Lava Jato e os 580 dias de prisão, em Curitiba.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.