Luiz Fara Monteiro Aeroporto de Congonhas recebe obras de repavimentação das pistas de taxiamento

Aeroporto de Congonhas recebe obras de repavimentação das pistas de taxiamento

Trabalho de recuperação asfáltica teve início dois meses após a Aena assumir a gestão do aeroporto

Aeroporto de Congonhas: obras de repavimentação das pistas de taxiamento

Aeroporto de Congonhas: obras de repavimentação das pistas de taxiamento

Aena Brasil - Divulgação

A Aena, nova administradora do aeroporto de Congonhas, iniciou um trabalho de fresagem e repavimentação das pistas de taxiamento do aeródromo para melhorar as condições do asfalto e aumentar a segurança das operações. As obras são realizadas durante a madrugada, quando não há pousos e decolagens, para gerar o menor impacto possível ao funcionamento do aeroporto.

As obras tiveram início apenas dois meses após a Aena assumir a gestão do aeroporto. Depois de uma análise criteriosa das condições da infraestrutura do local, a Aena identificou alguns pontos críticos, com a necessidade de recuperação emergencial.

Um primeiro trecho próximo à cabeceira 17 já teve as obras concluídas. No último sábado (23), a concessionária iniciou as obras de recuperação do asfalto nas pistas de taxiamento que dão acesso à cabeceira 35. Nos próximos dias, outros trechos das pistas de taxiamento também receberão melhorias. Os trabalhos devem seguir até meados de janeiro.

Devido à necessidade de cura do asfalto, poderá haver uma interdição de algum trecho de pista de taxiamento nas primeiras horas de funcionamento do aeroporto. Esse procedimento não afeta as operações do aeroporto, já que nesse período as aeronaves poderão utilizar outros acessos à pista principal.

Sobre a Aena Brasil    

Aena Brasil é marca registrada da espanhola Aena, considerada a maior operadora aeroportuária do mundo, em número de passageiros, pelo Conselho Internacional de Aeroportos. A companhia também é a maior do país, administrando 17 aeroportos, em nove estados brasileiros, sendo responsável por 20% da malha aérea nacional e pela gestão de Congonhas, o segundo maior em número de embarques e desembarques. Em 2022, seus 80 aeroportos e dois heliportos movimentaram 363,6 milhões de passageiros, sendo mais de 35 milhões no Brasil. Desde 2020, gere os equipamentos de infraestrutura do Recife (PE), Maceió (AL), João Pessoa (PB), Aracaju (SE), Juazeiro do Norte (CE) e Campina Grande (PB). Em 2023, assumiu Congonhas (SP), Campo Grande (MS), Uberlândia (MG), Santarém (PA), Marabá (PA), Montes Claros (MG), Parauapebas (PA), Uberaba (MG), Altamira (PA), Ponta Porã (MS), Corumbá (MS). Os dois blocos são administrados por diferentes sociedades de propósito específico: Aeroportos do Nordeste do Brasil (ANB) e Bloco de Onze Aeroportos do Brasil (BOAB). Na Espanha, a Aena opera 46 aeroportos e 2 heliportos. É acionista controlador, com 51%, do aeroporto de Londres-Luton no Reino Unido, além de gerenciar aeroportos no México (12), Colômbia (2) e Jamaica (2).

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas