Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Luiz Fara Monteiro
Publicidade

Aeroporto Internacional de Maceió lidera ranking de sustentabilidade da Anac

Infraestrutura da capital alagoana foi avaliada em 40 diferentes critérios e ficou em primeiro lugar na Classe III, categoria com até cinco milhões de passageiros por ano

Luiz Fara Monteiro|Luiz Fara MonteiroOpens in new window

Aeroporto Internacional de Maceió: líder no ranking de sustentabilidade da Anac (Divulgação Aena Brasil)

Administrado pela Aena, o Aeroporto Internacional de Maceió ficou em primeiro lugar no ranking de Aeroportos Sustentáveis divulgado anualmente pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) na Classe III, categoria que inclui os aeródromos que recebem até cinco milhões de passageiros ao ano. O resultado da premiação foi divulgado pela agência nesta quinta-feira (6).

“Esta é uma premiação que vem trazendo muita notoriedade às ações de sustentabilidade do setor aéreo, e que vem se tornando cada vez mais criteriosa em relação às exigências, aos pesos e cobranças ao longo dos anos. Nossas evidências foram muito bem recebidas e acatadas, gerando pontuação positiva em praticamente todos os critérios. Esse é um resultado direto dos investimentos que a Aena vem fazendo no Brasil”, afirma Maurício Martin de Moura, gerente de Qualidade e Meio Ambiente da Aena Brasil.Estrutura renovadaA sustentabilidade é um tema transversal a todas as atividades da concessionária, e que baliza tomadas de decisão, como, por exemplo, as obras estruturais dos aeroportos. Em julho de 2023, a Aena reinaugurou o aeródromo alagoano com espaços ampliados e totalmente renovados e áreas operacionais aperfeiçoadas, estabelecendo novos parâmetros de qualidade na gestão de todas as atividades, desde adequações ambientais e de segurança às expansões e reestruturações de espaços físicos, passando pela modernização de equipamentos.

Compromisso ambientalDesde o primeiro momento, a eficiência energética e a atenção aos impactos do clima estiveram em pauta. A energia utilizada no aeroporto é 100% renovável, comprada de fontes certificadas através do mercado livre. Uma estrutura de drenagem foi implantada, com canaletas nas laterais do pátio de aviação que levam materiais líquidos para caixas separadoras de água e óleo. Houve ainda a modernização dos equipamentos da central de água gelada, utilizada para climatização.

Entre os quarenta critérios avaliados pela Anac para o ranking estão a evolução na gestão de resíduos sólidos, a administração mais intensa das emissões atmosféricas, as melhorias no monitoramento de ruído no entorno, o mapeamento da pegada de carbono, os investimentos nos sistemas de climatização e automação. Todas as lâmpadas foram substituídas por LED e foi otimizada a visualização de indicadores ambientais, dando mais transparência aos processos. O Aeroporto de Maceió também passou a contar com novas técnicas de gerenciamento de risco da fauna.

Publicidade

Maurício afirma que o prêmio também é consequência do amadurecimento dos processos internos da Aena no estado, com a adoção de técnicas e métodos que estão servindo de referência para os outros 16 aeroportos que a Aena administra no Brasil. Isso inclui a criação de um manual do Sistema de Gestão Ambiental (SGA), o fomento às comissões de ruído aeronáutico e de gerenciamento de risco de fauna e a intensificação das ações de educação ambiental para comunidade aeroportuária e do entorno e a construção do Plano Específico de Zoneamento de Ruído do Aeroporto.

-- Sobre a Aena BrasilAena Brasil é marca registrada da espanhola Aena, considerada a maior operadora aeroportuária do mundo, em número de passageiros, pelo Conselho Internacional de Aeroportos, gerindo 78 aeroportos e dois heliportos em cinco países. A companhia também é a maior do país, administrando 17 aeroportos, em nove estados brasileiros, sendo responsável por 20% da malha aérea nacional e pela gestão de Congonhas, o segundo maior em número de embarques e desembarques. Em 2023, seus aeroportos movimentaram mais de 410 milhões de passageiros, sendo 283 milhões na Espanha e 41 milhões no Brasil. Desde 2020, gere os equipamentos de infraestrutura do Recife (PE), Maceió (AL), João Pessoa (PB), Aracaju (SE), Juazeiro do Norte (CE) e Campina Grande (PB). Em 2023, assumiu Congonhas (SP), Campo Grande (MS), Uberlândia (MG), Santarém (PA), Marabá (PA), Montes Claros (MG), Parauapebas (PA), Uberaba (MG), Altamira (PA), Ponta Porã (MS), Corumbá (MS). Os dois blocos são administrados por diferentes sociedades de propósito específico: Aeroportos do Nordeste do Brasil (ANB) e Bloco de Onze Aeroportos do Brasil (BOAB). Na Espanha, a Aena opera 46 aeroportos e 2 heliportos. É acionista controlador, com 51%, do aeroporto de Londres-Luton no Reino Unido, além de participar na gestão de aeroportos no México (12) e Jamaica (2).

Publicidade



Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.