Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Aeroportos Inteligentes: Como a tecnologia melhora a segurança e a gestão da aviação

Quando aplicada em aeroportos, as ferramentas com Inteligência Artificial otimizam o monitoramento de aeronaves, passageiros, colaboradores e pista de pouso e decolagem

Luiz Fara Monteiro|Do R7

Aeroportos Inteligentes: tecnologia melhora a segurança e a gestão da aviação
Aeroportos Inteligentes: tecnologia melhora a segurança e a gestão da aviação Aeroportos Inteligentes: tecnologia melhora a segurança e a gestão da aviação

Seguindo na mesma linha das Cidades Inteligentes, que têm conquistado cada vez mais espaço no Brasil e no mundo, os Aeroportos Inteligentes estão se popularizando. Afinal, tanto as companhias aéreas quanto a gestão dos aeroportos já notaram o quanto a aplicação de tecnologia nesses espaços é vantajosa.

No ano passado, ao todo, mais de 67 milhões de pessoas voaram pelo Brasil, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). Justamente para ajudar no controle de tudo o que acontece nas dependências dos aeroportos, recursos tecnológicos como Inteligência Artificial, Machine Learning e Big Data Analytics podem ser aplicados a sistemas de monitoramento por vídeo para identificar situações de risco e preveni-las.

Para entender melhor como funciona a IA aplicada a aeroportos, convidamos o especialista Eduardo Vargas, Business Development Manager no Brasil para a Graymatics, empresa líder em processamento de multimídia cognitiva, que possui mais de 100 aplicativos de IA para smart solutions capazes de oferecer insights aprofundados a partir de dados coletados.

De acordo com ele, nos aeroportos, a grande quantidade de pessoas e objetos circulando a cada minuto combinados às possíveis falhas de comunicação e interpretação humanas são um desafio para a gestão do ecossistema de tráfego aéreo.

Publicidade

“Para se ter uma ideia, somente no Aeroporto Internacional de Guarulhos, cerca de 34,4 milhões de passageiros circularam em 2022. Ao todo, foram 243 mil voos. Já o Aeroporto de Congonhas totalizou 18 milhões de passageiros transportados no mesmo período. Imagine como é desafiador para as equipes de controle mapearem e comunicarem tudo o que acontece durante o dia nesses locais”, pontua o especialista.

Vargas explica quais são as possíveis aplicações de processamento cognitivo multimídia, ou seja, tecnologia avançada de software acoplada ao monitoramento por vídeo, para uso em aeroportos de diferentes formas. O executivo destacou sete aplicações que considera essenciais em aeroportos:

Publicidade

Bagagem abandonada: Uma prática existente de terroristas é abandonar a mala no aeroporto ou despachar malas e não embarcar no voo. Se alguém não embarca, a companhia aérea precisa tirar a mala da pessoa, mesmo que ela não seja suspeita. Se a operadora utilizar IA, é possível identificar tanto os objetos abandonados, quanto localizar a bagagem de alguém que não embarcou com mais facilidade, evitando atrasos de vôos e melhorando a segurança.

Trânsito na pista: As pistas de pouso e decolagem contam com aeronaves, carros, caminhões, ônibus, colaboradores e passageiros circulando ao mesmo tempo. Para aumentar a segurança e reduzir o risco de acidentes, usamos IA para identificar e nomear tudo o que estiver circulando no local, criamos alertas para situações perigosas e ações para prevenção de acidentes.

Publicidade

Uso de máscara: Caso haja a exigência de uso de máscaras no local, a IA consegue identificar quem está descumprindo a regra e onde essa pessoa está, para que funcionários do aeroporto possam abordá-la e solicitar o uso de máscara.

Monitoramento de aeronaves: Um sistema inteligente conectado às câmeras do aeroporto pode determinar se as turbinas, aeronaves e outros veículos estão em movimento ou parados e, caso estejam se movendo, em que velocidade estão, prevenindo acidentes na pista.

Pessoas em áreas de risco: Também muito utilizada em indústrias, a IA permite aos gestores da área demarcar locais em que não deve haver circulação de pessoas comuns, apenas pessoas autorizadas. Caso alguém adentre a área de perigo, o sistema emite um alerta e permite tomar ações rapidamente.

Uso de EPIs: Assim como no monitoramento de áreas de risco, existe a possibilidade de uso de IA para verificar se os colaboradores estão utilizando seus equipamentos de proteção individual (EPIs) de forma correta, facilitando a fiscalização e evitando acidentes de trabalho.

Identificação de ações suspeitas ou violentas: Para facilitar e agilizar o tempo de ação das autoridades, situações violentas ou comportamentos suspeitos podem ser captados pelas câmeras e acionar a polícia ou a segurança automaticamente.

“Existem diversas aplicações possíveis de processamento cognitivo multimídia em aeroportos - tudo vai depender das necessidades e particularidades de cada um deles. As lojas, por exemplo, podem monitorar filas de clientes nos aeroportos. Também é possível monitorar os galpões onde os aviões estacionam ou auxiliar com manutenção preditiva e muito mais. A IA permite pensar em aplicações personalizadas para cada caso e isso é o charme desta tecnologia, que consegue tornar a aviação mais segura, mais eficiente e até mesmo mais lucrativa, pois acidentes neste setor podem ter custos altíssimos”, finaliza Vargas.

Sobre a Graymatics

A Graymatics é uma empresa líder em processamento de multimídia cognitiva. Por meio das melhores e mais completas tecnologias de IA, extrai insights aprofundados e permite soluções a partir da base instalada de câmeras CCTV. Fundada no Vale do Silício, com sede em Singapura, Graymatics está presente em 15 países, incluindo EUA, Reino Unido, Índia e Chile. Fornece soluções baseadas em IA por vídeo para vários setores, incluindo segurança e vigilância, transporte inteligente, marketing digital, comércio eletrônico, telecomunicações e Internet das Coisas. Sua cartela de clientes é composta por grandes fábricas de infraestrutura, manufatura e setor público, dentre eles Development Bank of Singapore, Fujitsu, Samsung, Hitachi, LG, Dentsu, Flipkart e Globe.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.