Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Luiz Fara Monteiro
Publicidade

Azul e BlueSky realizam transporte de aves em extinção até Refúgio

Companhia aérea apoia no transporte de oito ararinhas-azuis, que após reprodução em cativeiro serão reintroduzidas na natureza

Luiz Fara Monteiro|Do R7

Azul e BlueSky realizam transporte de aves em extinção até Refúgio
Azul e BlueSky realizam transporte de aves em extinção até Refúgio Azul e BlueSky realizam transporte de aves em extinção até Refúgio

A Azul, maior companhia aérea em número de voos e cidades atendidas no Brasil, junto com a sua unidade logística, a Azul Cargo, empresa número 1 em transporte aéreo de cargas no país, realizaram na última quinta-feira (18) um transporte especial. Ao invés de Clientes ou animais de estimação, a aeronave Pilatus foi adaptada para receber oito ararinhas-azuis, aves que estão em extinção na natureza. A aeronave decolou às 15h do BH Airport, na capital mineira, e pousou às 18h no aeroporto de Petrolina, em Pernambuco, ambos operados pela CCR Aeroportos. Depois, as aves foram transportadas por via terrestre até o Refúgio de Vida Silvestre da Ararinha-azul, em Curaçá, na Bahia, onde serão reintroduzidas no seu habitat natural, a caatinga. Essas são as primeiras nascidas em cativeiro no Brasil e que finalmente poderão voar em liberdade na natureza.

Segundo Tariana Cruz, gerente Geral de Marketing da Azul, foram meses de planejamento para finalmente chegar esse momento único para a empresa. “É um orgulho participar de parte deste processo. A Azul cuidou deste transporte aéreo e tudo foi feito com cuidado e organização para que o voo fosse direto, evitando o máximo de estresse para as aves durante o percurso. Estamos emocionados e felizes de poder contribuir com esse projeto, que apoiamos desde 2020, por meio de ações como o avião Ararinha-azul, que é uma aeronave Embraer E2 com uma pintura especial em homenagem a espécie, feito pelo artista Luiz Pardal”, explica Tariana.

A complexa logística desta operação foi feita em parceria com a BlueSky, que é responsável pela criação e reintrodução das aves na natureza junto com a ONG Association for the Conservation of Threatened Parrots (ACTP). "Estamos extremamente gratos pelo apoio da Azul no programa de reintrodução da ararinha-azul. A companhia tem se dedicado a disseminar a importância da conservação da espécie única e, juntos, estamos dando mais um importante passo para levar a ararinha-azul de volta ao seu habitat natural”, afirma Ugo Vercillo, diretor da Bluesky. 

Todas as ações para salvar a espécie fazem parte do Plano de ação nacional para conservação coordenado pelo ICMBio/Governo Federal. No início dos anos 2000, a ave foi considerada extinta da natureza. Foi necessária a reprodução em cativeiro para iniciar a reintrodução no seu habitat natural. As primeiras aves foram soltas em 2022 no Refúgio, de forma gradual, e são acompanhadas por meio de rastreadores. O projeto BlueSky alerta também que é preciso atuar na conservação e preservação da caatinga, que é casa dessa e outras espécies. “O tráfico ilegal e a destruição do meio ambiente são dois fatores que contribuíram para a ararinha-azul ser considerada extinta, por isso, nosso projeto é sermos os guardiões das ararinhas, protegendo não apenas a espécie como a caatinga”, informa Ugo.

Publicidade

Para a equipe da CCR Aeroportos, participar da ação reforça como o sistema aeroportuário tem papel que vai muito além do transporte de passageiros. “Conectar pessoas, negócios e empresas e, claro, contribuir com inciativas que fomentam a nossa biodiversidade nos enche de orgulho e destaca a importância da aviação para um país tão extenso como o nosso”, explica Jamerson de Andrade Vasconcelos, Gerente do Aeroporto de Petrolina.

A parceria com a Azul nessa iniciativa também foi ressaltada por Daniel Miranda, CEO interino e diretor Administrativo-Financeiro do BH Airport. “É uma satisfação para o aeroporto fazer parte de uma ação ambiental tão relevante, sobretudo pela preservação de uma espécie em extinção. Práticas a favor do ESG, sobretudo relacionadas a iniciativas de proteção da fauna, são um compromisso da nossa organização”, destaca.

Publicidade

Sobre a BlueSky

A Bluesky é uma organização privada que tem como missão contribuir para a preservação da biodiversidade e o desenvolvimento sustentável das comunidades locais por meio do reflorestamento e da geração de renda verde através de crédito de carbono. Atualmente, a Bluesky está atuando nas unidades de conservação da ararinha-azul em Curaçá, Bahia, buscando proteger essa espécie em risco de extinção e promover o desenvolvimento socioeconômico da região.

Publicidade

Juntos, podemos enfrentar a crise climática global e construir um futuro mais verde e justo para todos.

Sobre a Azul 

A Azul S.A. (B3: AZUL4, NYSE: AZUL) é a maior companhia aérea do Brasil em número de voos e cidades atendidas, com mais de 900 voos diários, para mais de 150 destinos. Com uma frota operacional com mais de 160 aeronaves e mais de 14.000 tripulantes, a Azul possui mais de 300 rotas diretas em voo regionais, domésticos e internacionais. Em 2022, a Azul foi eleita a companhia aérea mais pontual do mundo, segundo o relatório OnTime Performance-OTP Review da Cirium – a principal referência mundial de dados operacionais do setor. Além disso, em 2020, conquistou o prêmio de melhor companhia aérea do mundo pelo TripAdvisor Travelers' Choice, sendo a única empresa brasileira a receber ambos os reconhecimentos. 

Sobre o BH Airport

Com localização estratégica e um dos principais hubs do país, o BH Airport atende a mais de 60 destinos nacionais e internacionais. Desde 2014, o aeroporto é administrado por uma concessão, formada pelo Grupo CCR, uma das maiores companhias de concessão de infraestrutura da América Latina, e por Zurich Airport, operador do Aeroporto de Zurich, o principal hub aéreo da Suíça e considerado um dos melhores aeroportos do mundo, além da Infraero, estatal com experiência de mais de 40 anos na gestão de aeroportos no Brasil.

Sobre a CCR Aeroportos 

A CCR Aeroportos, negócio do Grupo CCR, opera 20 aeroportos no mundo, firmando sua presença em quatro países e nove estados brasileiros. Com a recente expansão a empresa se consolidou como uma das maiores operadoras em número de aeroportos no Brasil. Ao todo administra 17 aeroportos brasileiros: São Luís e Imperatriz, no Maranhão; Palmas, no Tocantins; Teresina, no Piauí; Petrolina, em Pernambuco; Goiânia, em Goiás; o Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, por meio da BH Airport, e o Aeroporto da Pampulha, em Minas Gerais; Curitiba, Bacacheri, Londrina e Foz do Iguaçu, no Paraná; Navegantes e Joinville, em Santa Catarina; e Pelotas, Uruguaiana e Bagé, no Rio Grande do Sul. No exterior, a empresa opera os aeroportos de Juan Santamaria (Costa Rica), Quito (Equador) e Curaçao (Antilhas Holandesas). Em todas estas operações, a CCR Aeroportos movimenta cerca de 42 milhões de passageiros/ano.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.