Luiz Fara Monteiro Azul implanta programa de uso consciente de combustível em Curitiba 

Azul implanta programa de uso consciente de combustível em Curitiba 

Aeroporto Internacional Afonso Pena (CWB), um dos mais importantes do Paraná, é mais uma base a apoiar o APU Zero – que reduz em mais de 70% o uso de querosene das aeronaves em solo

Azul: programa de uso consciente de combustível em Curitiba
Azul: programa de uso consciente de combustível em Curitiba Azul - Divulgação

Em parceria com a Azul Linhas Aéreas, o Aeroporto Internacional Afonso Pena (CWB), localizado a 18 km de Curitiba, passa a adotar o conjunto de ações para reduzir ao máximo o uso do APU durante o momento do embarque e desembarque dos voos da companhia. Com essa decisão, um dos mais importantes aeroportos do Paraná, integra agora a lista de 12 bases que colaboram para reduzir em até 73% o uso de querosene das aeronaves enquanto elas estão em solo.

O Auxiliary Power Unit – ou, em português, Unidade Auxiliar de Energia – é um motor auxiliar, geralmente localizado na cauda de alguns aviões, e que é acionado para manter os sistemas ligados quando a aeronave está em solo. Com o programa e a parceria dos aeroportos, ao pousar, os voos da Azul são imediatamente recebidos com fonte externa de energia elétrica e ar-condicionado, garantindo conforto aos Clientes – que embarcam e desembarcam, sem que o APU seja ligado e consuma parte do combustível da aeronave.

O programa APU Zero já completou um ano. A primeira base a aderir ao APU Zero em abril de 2022 foi o Aeroporto de Viracopos (VCP).  Atualmente, já são doze bases pelo país: incluindo além de VCP e, agora, o de Curitiba (CWB), os aeroportos de Belém (BEL), Florianópolis (FLN), Congonhas (CGH), Confins (CNF), Brasília (BSB), Rio de Janeiro (SDU), Cuiabá (CGB), Recife (REC), Salvador (SSA) e Manaus (MAO).

Segundo Daniel Tkacz, Vice-Presidente de Operações da Azul, os resultados do APU Zero até agora têm estimulado cada vez mais o crescimento do programa e o interesse de novos aeroportos por onde circulam os mais de 900 voos da companhia diariamente. “O uso de APU em solo, nas bases que adotam o nosso programa, caiu de 42%, em abril do ano passado, para 14%, em abril. E isso resultou em uma diminuição de 73% no combustível consumido em solo –o que evitou a emissão de 49 mil toneladas de CO2 na atmosfera. Só em nossa base de Curitiba (CWB), a previsão é de que o uso de APU – que hoje é de 47%-- caia em breve para 7%”, explica Tkacz.

Por tudo isso o programa será ampliado, e a quantidade de bases parceiras não deve parar por aí. A previsão é de que, até o final do ano, o programa conte com 20 aeroportos no total apoiando o APU Zero.

Novidades nas operações da Azul em Curitiba

Com o aumento de slots e expansão da presença da companhia no aeroporto de Congonhas, que passa de 26 para 84 movimentos de pousos e decolagens, a Azul retomou a rota direta ligando Congonhas ao Aeroporto Internacional Afonso Pena (CWB). Agora, serão mais 7.316 assentos por semana, entre Curitiba e o principal aeroporto de São Paulo, permitindo que os Clientes paranaenses voem até a capital paulista e retornem no mesmo dia.  A novidade também possibilitará a conexão com nove cidades no interior paranaense, como Umuarama, que só conta com operação aérea da Azul.

A companhia, que opera desde janeiro de 2009 no aeródromo paranaense, realiza em média 33 voos diários e soma mais de 1.000 decolagens mensais para 17 destinos.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas