Emirates reduzirá operação na Nigéria

Companhia encontra dificuldade de repatriar receitas do país africano

Emirates: menos voos para a Nigéria

Emirates: menos voos para a Nigéria

Paul Spijkers - Wikimedia Commons

A Emirates de Dubai planeja reduzir voos para a Nigéria este mês devido a problemas para repatriar receitas do país mais populoso da África, de acordo com uma carta enviada ao governo e vista pela Reuters.

A Emirates planeja reduzir o número de voos para Lagos de 11 para sete até meados de agosto, disse a carta, acrescentando que havia US$ 85 milhões retidos no país em julho, um número que vinha aumentando em US$ 10 milhões por mês.

Observadores da indústria dizem que mais companhias aéreas poderiam seguir o exemplo se o banco central, que restringe o acesso a moeda estrangeira para lidar com uma grave escassez de dólares, não abordasse os problemas das companhias aéreas.

"Não temos escolha a não ser tomar essa ação, para mitigar as perdas contínuas que a Emirates está enfrentando como resultado do bloqueio de fundos na Nigéria", disse em uma carta ao ministro da aviação Hadi Sirika datada de 22 de julho.

Um porta-voz do ministério da aviação não respondeu a um pedido de comentário, como infirma a Reuters.

A Emirates, em um comunicado por e-mail, disse que os problemas de repatriação de fundos estavam afetando sua viabilidade comercial na Nigéria e que os esforços para resolver o problema tiveram sucesso limitado.

A Emirates não comentou diretamente a carta e disse que espera continuar com a programação completa.

Na semana passada, o valor do mercado negro da naira em relação ao dólar caiu para uma baixa recorde. O banco central disse estar preocupado com o valor da naira, moeda local.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas