Luiz Fara Monteiro LATAM estreia exposição inédita de NFTsem Guarulhos para promover artistas brasileiros

LATAM estreia exposição inédita de NFTsem Guarulhos para promover artistas brasileiros

Primeiras obras são de autoria de Gean Guilherme, Herbert Amorim e Talita Persi, da SocialCrypto.art, plataforma que angaria fundos para comunidade no Rio de Janeiro

Obra digital da artista Talita Persi, disponível na exposição do LATAM Lounge em Guarulhos

Obra digital da artista Talita Persi, disponível na exposição do LATAM Lounge em Guarulhos

LATAM - Reprodução

 A LATAM acaba de abrir mais um espaço na sua operação para dar oportunidades a talentos brasileiros e gerar impacto social. Durante um ano, a companhia exibirá em seu lounge instalado no aeroporto de Guarulhos (São Paulo) as artes digitais desenvolvidas por meio do programa SocialCrypto.art, que angaria fundos para a comunidade do Morro Santo Amaro, no Rio de Janeiro (RJ). Os primeiros trabalhos exibidos são de autoria dos artistas Talita Persi, Gean Guilherme e Herbert Amorim. Este é o primeiro programa de arte digital com fim social promovido por uma companhia aérea no mundo.

“Todos os dias pensamos em como podemos usar a voz e o espaço na LATAM para ajudar mais gente e promover a diversidade e a inclusão. Foi assim que levamos a criatividade de chefs brasileiras para os aviões e é assim que agora inovamos com o trabalho digital desses artistas no nosso lounge em Guarulhos. Quando abrimos mais oportunidades para esses talentos, geramos impacto social e reforçamos o nosso compromisso com o Brasil”, explica Paulo Miranda, vice-presidente de Clientes do LATAM Airlines Group.

Todas as obras expostas no LATAM Lounge Guarulhos acompanham um certificado de autenticidade que utiliza blockchain por meio de NFTs, a sigla em inglês para Token Não Fungível. O novo formato, diretamente vinculado ao surgimento das criptomoedas, é uma tecnologia capaz de transformar qualquer tipo de mídia digital (arquivos, imagens, publicações, códigos, entre outros) em um item de valor único, que pode ser adquirido virtualmente, gerando um certificado digital de propriedade.

A cada quatro meses, a exposição será renovada com os trabalhos de mais três artistas indicados pela SocialCrypto.art. Para adquirir qualquer uma das obras utilizando criptomoedas, os passageiros devem acessar diretamente a plataforma de compra do programa, disponível por meio do QR Code fixado em cada uma das telas.

SOCIALCRYPTO.ART

A SocialCrypto.art é um galeria virtual que busca ampliar a conscientização sobre o potencial das NFTs como uma ferramenta para uso com fins sociais. Além disso, oferece às pessoas uma oportunidade única de adquirir obras de arte digital autênticas. Por meio do uso da tecnologia dos NFTs, a SocialCrypto.art direciona fundos para projetos sociais na favela e contribui para impacto social. É uma iniciativa que combina arte, tecnologia e responsabilidade social, criando novas possibilidades para a promoção do bem e a valorização da cultura e da comunidade.

Foi Gean Guilherme, morador do Morro Santo Amaro, o pioneiro responsável por usar o trabalho em NFT para cunho social no Brasil. “A iniciativa surgiu durante a pandemia, quando a favela estava em um momento delicado. Muitas pessoas perderam o emprego e a fome ficou próxima. Foi neste cenário que construí o projeto, um trabalho que reuniu tudo que aprendi sobre NFT, criptomoedas e impacto social. Disponibilizei as artes, as pessoas passaram a adquirir e fazer doações, e a SocialCrypto.art nasceu”, conta o fundador da galeria virtual.

Segundo ele, a tecnologia tem ajudado a democratizar a arte. “Hoje temos nosso laboratório de tecnologia e inovação para testar de tudo: realidade aumentada, realidade virtual, inteligência artificial e impressão 3D. Ficamos muito felizes com o convite da LATAM, com a oportunidade de expor esse trabalho para mais gente. Isso impulsiona nosso projeto de montar a primeira galeria de arte física em uma favela, algo inédito”, completa.

GEAN GUILHERME

Gean é artista digital, estudante de tecnologias imersivas. Cursa Design na PUC-Rio e desenvolve a galeria SocialCrypto.art, que usa a tecnologia de NFTs para direcionar fundos e apoiar iniciativas de impacto social na favela. Ele é também o fundador da 2050, laboratório de inovação e tecnologia que busca estudar o futuro da favela através de novas tecnologias, impulsionando jovens a descobrir o universo criativo. Sua pesquisa se baseia no estudo do futuro na favela, utilizando equipamentos tecnológicos como óculos de Realidade Virtual, scanners, computadores e projeções para desenvolver arte e inovação social.

HERBERT AMORIM

Herbert utiliza técnicas de pintura e colagem digital, é autodidata, nascido e criado em Senador Camará, na zona oeste do Rio de Janeiro. Começou a pintar no final de 2016 entendendo ser a forma mais genuína de expressão e comunicação com a comunidade e o público com que convive. Mistura a vivência de rua, música e referências de artistas como Salvador Dalí, Heitor dos Prazeres, René Magritte, Hyeronimous Boch, Hanna Höch, Candido Portinari, Basquiat entre outros.

TALITA PERSI

Ilustradora, tatuadora, artista plástica e cripto artista, a jornada de Talita está sempre transitando por muitos estilos. Inicialmente como uma autodidata, sem influência artística na família quando criança, a artista iniciou sua trajetória no mundo das artes aos 19 anos. Hoje, Talita Persi possui identidade própria com suas ilustrações, tatuagens ou as famosas cabeças quadradas intituladas como "unBlock Heads", que tem como objetivo aumentar a voz das mulheres no mercado de NFTs, sem deixar de experimentar novos estilos no meio disso tudo.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas