Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

LATAM transporta gratuitamente filhote de Onça-Parda para preservação da espécie

Felino foi resgatado pela Polícia Ambiental em Cambuci (RJ). Para proporcionar um lar adequado e promover a preservação de sua espécie, animal foi encaminhado via Avião Solidário ao Zoológico de Salvador  

Luiz Fara Monteiro|Do R7

Filhote de Onça-Parda encaminhado pelo INEA aos cuidados do Centro de Recuperação de Animais Silvestres
Filhote de Onça-Parda encaminhado pelo INEA aos cuidados do Centro de Recuperação de Animais Silvestres Filhote de Onça-Parda encaminhado pelo INEA aos cuidados do Centro de Recuperação de Animais Silvestres

Um filhote de Onça-Parda (Puma concolor) de apenas 6 meses recebeu um novo lar nesta quinta-feira (27). Ele foi transportado gratuitamente do aeroporto Santos Dumont para Salvador (BA) pelo programa Avião Solidário da LATAM, que há mais de 10 anos coloca à disposição da América do Sul toda a sua experiência logística e conectividade para o transporte gratuito de pessoas, animais e cargas em emergências de Saúde, Meio Ambiente e Catástrofes. O transporte tem como finalidade proporcionar um lar adequado e preservar a espécie, que vem sofrendo ao longo dos anos pela perda de habitat.

O felino foi resgatado em abril deste ano pela Unidade de Polícia Ambiental no município de Cambuci, no noroeste do Rio de Janeiro, e encaminhado para a Área de Proteção Ambiental (APA) de Maria Paula, em São Gonçalo. Em seguida, foi enviado pelo INEA (Instituto Estadual do Ambiente) ao CRAS (Centro de Recuperação de Animais Silvestres), da Estácio Vargem Pequena, para avaliação veterinária e exames complementares. Após receber os cuidados, os profissionais decidiram pelo seu envio para o Zoológico de Salvador, gerido pelo INEMA (Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos) e que dispõe de estrutura e manejo adequados para proporcionar bem-estar ao animal. Na avaliação dos profissionais, a soltura do filhote em seu habitat natural seria complexa considerando aspectos de adaptabilidade, aprendizado de caça, domínio de território e monitoramento pós-soltura.

O animal foi embarcado em um voo da LATAM que partiu do aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, às 09h50 (hora local) e pousou em Salvador (BA) às 11h50. De lá, foi transportado via terrestre ao Zoológico de Salvador. Nos próximos dias, o filhote deve passar por um processo de adaptação antes de ser introduzido ao novo lar. O transporte aéreo foi realizado de forma gratuita pelo programa Avião Solidário da LATAM, evitando um deslocamento terrestre de mais de 1,6 mil quilômetros entre as duas instituições, reduzindo para duas horas um percurso que levaria quase 24 horas via terrestre, gerando estresse e cansaço desnecessários ao felino.

AVIÃO SOLIDÁRIO JÁ PROTEGEU MAIS DE 4,6 MIL ANIMAIS SOMENTE NO BRASIL

Publicidade

Com o transporte da onça-parda, chega a 50 o número de animais transportados gratuitamente no Brasil em 2023 pelo Avião Solidário da LATAM para preservar suas espécies e contribuir com os ecossistemas brasileiros.

Além dos 50 animais, em 2023 o programa Avião Solidário já beneficiou 160 mil pessoas no Brasil, transportou 18 toneladas de cargas em emergências, transportou 758 pessoas e atuou diretamente em situações como os terremotos da Turquia e Síria, os deslizamentos no litoral paulista e na crise humanitária do povo Yanomami.

Publicidade

Em 10 anos de existência, o programa já beneficiou mais de 140 milhões de pessoas no Brasil com o transporte gratuito de mais de 921 toneladas de cargas, 4,6 mil animais e 282 milhões de vacinas contra a Covid-19 para todos os estados brasileiros e o Distrito Federal. O volume de vacinas, aliás, equivale a mais de 70% do total de doses embarcadas pelo setor aéreo dentro do País desde 2020.

Na prática, o Avião Solidário está conectado com a frente de Valor Compartilhado do grupo LATAM, para colocar à disposição da América do Sul toda a experiência logística e a conectividade da companhia. Em 2022, vale lembrar, o programa Avião Solidário consolidou parcerias com diferentes ONGs no Brasil, como Amigos do Bem, Gastromotiva, Associação Caatinga, Instituto Rodrigo Mendes, Amazone-se, Make a Wish e SOS Mata Atlântica.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.