Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Luiz Fara Monteiro
Publicidade

Projeto de eficiência hídrica do Aeroporto de Juazeiro do Norte vence prêmio de inovação na Espanha

Concorrendo com profissionais de 78 aeroportos da rede internacional da Aena, grupo de brasileiros vence o Innova, reconhecimento concedido pela maior operadora aeroportuária no mundo

Luiz Fara Monteiro|Luiz Fara MonteiroOpens in new window

Modelo integra tratamento de água e esgoto para otimizar o uso dos recursos hídricos, proporcionando uma redução de custos estimada em 15% (Junot Lacet Filho)

Um grupo de colaboradores da Aena Brasil transformou os desafios do semiárido num prêmio de inovação concedido pela Espanha. Eles criaram o projeto Eficiência Hídrica no Aeroporto de Juazeiro do Norte, localizado no sertão do Cariri Cearense. A iniciativa, que prevê o reaproveitamento inteligente da água, ganhou o Prêmio Innova na categoria Meio Ambiente. O reconhecimento é concedido pela Aena a profissionais cujas ideias contribuam para a transformação dos aeroportos.  

A cerimônia de premiação acontece na Espanha, no dia 24 de maio. Além dos brasileiros, outros quatro grupos foram premiados nas outras categorias: Transformação e experiência do cliente, Uso inteligente de recursos, Novos Negócios e Melhores práticas. Puderam concorrer trabalhadores de todos os 78 aeródromos da rede internacional da companhia, que é a maior operadora aeroportuária no Brasil e no mundo. Com a premiação, o projeto piloto pode ser expandido para outros aeroportos.  A equipe vencedora é composta por Maurício Martin de Moura, gerente de Qualidade e Meio Ambiente, autor do projeto junto com Raphael Maciel Monteiro, da equipe de Manutenção; Raúl Moya, diretor de Operações e TIC; Lúcio Flávio Fonseca, atualmente diretor do Aeroporto de Uberlândia, e Diógenes Barbosa Araújo, coordenador coorporativo de Meio Ambiente. A iniciativa teve ainda apoio de Tiago Vieira dos Santos, da Manutenção, e Cristina Iwasita, de Infraestrutura. 

Criado numa área onde prevalecem longos períodos de estiagem e a escassez de água, o modelo proposto pelos brasileiros integra as estações de tratamento de água (ETA) e de esgoto (ETE), permitindo que cada gota do líquido seja aproveitada – desde a pluvial, captada por um sistema de calhas nos telhados, até o reuso total nas instalações do aeroporto. O tratamento do esgoto passa a ser feito dentro do aeroporto, sem precisar circular pela rede pública. A água tratada, antes destinada a um sumidouro natural das proximidades, é volta para irrigação, banheiros e caminhão de bombeiros, proporcionando uma redução de custos estimada em 15% do total dos gastos anuais.   O método proporciona economia circular, eficiência hídrica e melhor uso da estrutura do aeroporto.  “O projeto piloto em Juazeiro do Norte nos trará conhecimentos e know-how para aplicar este mesmo sistema em outros aeroportos da rede”, explica Maurício.   

Terminal de passageiros 

Publicidade

As melhorias estruturais do Aeroporto de Juazeiro do Norte foram inauguradas pela Aena no dia 14 de setembro de 2023, com investimentos abrangendo todo o terminal de passageiros, que foi totalmente requalificado. A transformação foi completa, incluindo a demolição de uma parte do prédio antigo para a construção de áreas mais confortáveis, modernas e espaçosas para circulação de passageiros. O terminal mais que duplicou de tamanho – passando de 2,5 mil para 6,5 mil m2 – e de capacidade operacional, podendo atender agora até mil passageiros simultaneamente, no horário de pico. Foram renovados fachada e saguão, e passaram por ampliações e reformulações as áreas de embarque e desembarque, setor comercial, incluindo alimentação e varejo. O estacionamento também teve grande incremento de segurança: ele foi ampliado e reestruturado, dobrando o número de vagas e ganhando melhorias na iluminação, ordenamento e acessibilidade. A rodovia CE-292 foi desviada e requalificada pela Aena, para que deixasse de passar por dentro da área de permanência dos veículos, e agora tem mais faixas de rolamento.   

ESG   

Publicidade

O compromisso da Aena com o meio ambiente está presente também no consumo de energia 100% renovável e de fontes certificadas. Além disso, foi construída uma Central de Resíduos Sólidos moderna e com capacidade para segregação de lixos comuns dos infectantes, com destinação dos comuns para cooperativas locais. O novo prédio de manutenção das companhias aéreas tem uma área específica para o tratamento de resíduos inflamáveis e o antigo grupo gerador de 400 KVA foi trocado por dois novos de 360 KVA cada um, garantindo o abastecimento de energia mesmo em condições meteorológicas adversas. Um sistema de drenagem foi implementado em toda a área operacional e estacionamento em frente ao terminal.  

Sobre a Aena BrasilAena Brasil é marca registrada da espanhola Aena, considerada a maior operadora aeroportuária do mundo, em número de passageiros, pelo Conselho Internacional de Aeroportos, gerindo 78 aeroportos e dois heliportos em cinco países. A companhia também é a maior do país, administrando 17 aeroportos, em nove estados brasileiros, sendo responsável por 20% da malha aérea nacional e pela gestão de Congonhas, o segundo maior em número de embarques e desembarques. Em 2023, seus aeroportos movimentaram mais de 410 milhões de passageiros, sendo 283 milhões na Espanha e 41 milhões no Brasil. Desde 2020, gere os equipamentos de infraestrutura do Recife (PE), Maceió (AL), João Pessoa (PB), Aracaju (SE), Juazeiro do Norte (CE) e Campina Grande (PB). Em 2023, assumiu Congonhas (SP), Campo Grande (MS), Uberlândia (MG), Santarém (PA), Marabá (PA), Montes Claros (MG), Parauapebas (PA), Uberaba (MG), Altamira (PA), Ponta Porã (MS), Corumbá (MS). Os dois blocos são administrados por diferentes sociedades de propósito específico: Aeroportos do Nordeste do Brasil (ANB) e Bloco de Onze Aeroportos do Brasil (BOAB). Na Espanha, a Aena opera 46 aeroportos e 2 heliportos. É acionista controlador, com 51%, do aeroporto de Londres-Luton no Reino Unido, além de participar na gestão de aeroportos no México (12) e Jamaica (2).

Publicidade



Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.