R7 Planalto Presidente quer volta da CPMI das Fake News em setembro

Presidente quer volta da CPMI das Fake News em setembro

Declaração foi dada pelo senador Angelo Coronel (PSD-BA). Comissão teve os trabalhos suspensos por causa da pandemia

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar, do R7*

Na imagem, senador Angelo Coronel (PSD-BA)

Na imagem, senador Angelo Coronel (PSD-BA)

Geraldo Magela/Agência Senado 27.02.2019

O senador Angelo Coronel (PSD-BA), presidente da CPMI das Fake News, afirmou que quer a retomada dos trabalhos da comissão em setembro, assim que terminar a CPI da Covid.

“Tão logo autorize a reinstalação, vamos voltar a trabalhar com muito afinco. Vamos lutar para o brasileiro não ser caluniado, difamado, xingado nas redes sociais, e para termos condição de descobrir os autores dessas ofensas e desinformações. Precisamos ter uma rede social limpa”, afirmou.

A CPMI foi instalada em setembro de 2019 para investigar utilização de perfis falsos nas eleições de 2018 e ataques cibernéticos que atentam contra a democracia, mas teve as atividades suspensas em decorrência da pandemia de covid-19.

O seu prazo de funcionamento foi prorrogado por prazo indeterminado. Coronel, que preside a comissão, quer a retomada dos trabalhos assim que terminar a CPI da Covid, que pode funcionar até novembro. O colegiado estipulou como data final o dia 16 de setembro, acatando proposta do vice-presidente, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

O presidente da CPMI das Fake News avalia que as denúncias sobre disparos de conteúdos falsos durante as eleições de 2018 são “matéria vencida”. Na nova fase, caso o presidente do Senado aprove, o foco da comissão, segundo Coronel, deve ser a proteção ao processo eleitoral de 2022. “Temos que pensar em proteger para que tenhamos eleições em 2022 sem a influência financeira comprando disparos. Esse pode ser um legado da CPMI”, disse.

*Com Agência Senado

Últimas