Prefeito paulista sofre punição por não fechar comércio da cidade

Em Mirandópolis, a 595 km da capital, o prefeito Everton Sodário, se posicionou contra medida restritiva imposta pelo governador João Doria e afirmou defender o direito à liberdade e ao trabalho

O prefeito de Mirandópolis (SP), Everton Sodário, foi multado em R$ 40 mil e teve bens bloqueados por não decretar lockdown no município. Isso aconteceu porque em fevereiro, o governador João Doria determinou que os municípios que não seguissem as medidas de restrição impostas por ele fossem punidos.

Após essa ameaça de Doria, o prefeito Everton Sodário disse, em vídeo, que não iria impedir o ir e vir das pessoas e afirmou ser um absurdo penalizar os comerciantes dessa forma, uma vez que não são eles os culpados por propagar o vírus.

Prefeito de Mirandópolis é multado e tem bens bloqueados após defender liberdade da população e do comércio

Prefeito de Mirandópolis é multado e tem bens bloqueados após defender liberdade da população e do comércio

Reprodução

Ontem, após o anúncio da multa, Sodário destacou que está sendo condenado por defender a liberdade e o direito de a população trabalhar. Ele ainda revelou que sua conta bancária foi bloqueada, mas que trabalhará de graça.

"Eu tinha apenas 273 reais de saldo. Não tenho bens, a não ser um carro financiado e, a partir de agora, não tenho dinheiro sequer para ir ao mercado. Mas, o Ministério Público e o João Dória vão ter que fazer muito mais para me parar, enquanto eu estiver vivo irei defender a Vida e a Liberdade do meu povo, trabalharei de graça nos próximos meses para pagar a multa que levei, isso não me desanima, só me fortalece", concluiu.

Segundo dados da prefeitura, a cidade de Mirandópolis computou pouco mais de 1300 casos confirmados e 31 óbitos pela covid-19, desde o início da pandemia.

Liberdades subjugadas

É assim que o desembargador Souza Meirelles pensa a respeito do decreto de lockdown imposto pelo prefeito de outra cidade do interior de São Paulo, São José do Rio Preto, Edson Coelho Araújo, mais conhecido como Edinho Araújo. O magistrado do Tribunal de Justiça de São Paulo concedeu essa semana um habeas corpus preventivo para que um advogado consiga andar pelas ruas da cidade.

O advogado declarou ter medo de sofrer "constrangimento ilegal" na liberdade de locomoção, uma vez que, de acordo com as normas decretadas pelo prefeito Edinho Araújo, apenas profissionais de serviços essenciais podem circular pelas ruas da cidade.

Desembargador criticou lockdown imposto pelo prefeito de São José do Rio Preto, Edinho Araújo

Desembargador criticou lockdown imposto pelo prefeito de São José do Rio Preto, Edinho Araújo

Gustavo Lima / Câmara dos Deputados

Ao avaliar o pedido, o desembargador Souza Meirelles criticou as medidas tomadas pelo prefeito de São José do Rio Preto, considerou as regras "bizarras" e afirmou que liberdades individuais estão sendo subjugadas.

Lockdown x politização

Já mostramos aqui neste blog estudos que provam que não há concordância científica a respeito da eficiência dos lockdowns.

Para o professor da Universidade de Stanford e vencedor de um prêmio Nobel de química em 2013, Michael Levitt, a estratégia de fechamento total do comércio não-essencial é uma perda de tempo e pode matar mais pessoas. Ao jornal britânico Telegraph, ele afirmou que medidas de restrição desse tipo foram tomadas muito mais por pânico do que por evidências científicas conclusivas.

Especialista afirma que medidas de restrições, como o lockdown, são tomadas por desespero e não por evidências científicas conclusivas

Especialista afirma que medidas de restrições, como o lockdown, são tomadas por desespero e não por evidências científicas conclusivas

Marlon Costa / Futura Press

"Acredito que o lockdown pode ter custado mais vidas. Pode ter poupado vidas que seriam perdidas em acidentes de trânsito, coisas assim, mas o dano social, como violência doméstica, divórcios e alcoolismo, foi extremo. E há também quem deixou de ser tratado por outras condições médicas", declarou.

O professor Michael Levitt afirma acreditar na conscientização, retomada da rotina, com a população usando máscaras e adotando medidas de distanciamento social.

É claro que esse tipo de posicionamento divide opiniões no universo científico. Por isso mesmo, se não há concordância a respeito da eficiência do fechamento completo, não faz sentido postergar essa restrição e aumentar muitos outros problemas sociais. 

A população está rendida e não sabe mais em quem acreditar. Por isso, faço um apelo às autoridades: é preciso combater o vírus e parar de incentivar uma briga política inútil, pensando apenas em si próprio, em 2022.

Necessitamos de pessoas comprometidas que invistam esforços na prevenção, na conscientização e, sobretudo, na vacinação. 

Tudo nesta pandemia está politizado. É muito triste ver que conseguiram dividir o povo no que se refere as estratégias para preservar vidas e combater a maior calamidade dos últimos tempos.

Últimas