Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

'Estúdio News' deste sábado (9) debate os avanços na terapia genética

O programa da Record News vai ao ar aos sábados, aos 22h30; saiba mais

Estúdio News|Do R7

Gustavo Toledo, Adriane Ribeiro e Charles Schmidt debatem o tema no Estúdio News deste sábado (9)
Gustavo Toledo, Adriane Ribeiro e Charles Schmidt debatem o tema no Estúdio News deste sábado (9) Gustavo Toledo, Adriane Ribeiro e Charles Schmidt debatem o tema no Estúdio News deste sábado (9) (Divulgação/RECORD)

As pesquisas de terapia gênica têm avançado aos poucos no Brasil, ela já é uma opção de tratamento para o câncer e doenças raras como hemofilia A, hemofilia B e distrofia muscular de Duchenne, por exemplo. O tema ganha espaço no debate do Estúdio News deste sábado (9), a partir das 22h30, na RECORD NEWS.

Especialistas compartilharam os progressos e os desafios enfrentados nesse campo crucial da saúde. A terapia gênica visa corrigir genes defeituosos, seja reconfigurando sua expressão ou ajustando sua posição no controle do organismo.

Adriana Ribeiro, diretora médica da Pfizer Brasil, explica que por meio de vetores, como adenovírus, informações genéticas corretas são entregues diretamente ao núcleo da célula, possibilitando a produção de proteínas essenciais para corrigir erros genéticos.

Charles Schmidt, assessor médico sênior do Centro de Ensino, Pesquisa e Inovação (CEPI) do Instituto Jô Clemente (IJC), diz que às vezes tem de se usar outra forma para a terapia gênica na oncologia, onde se retira a célula para fazer com que a célula trabalhe para na destruição do câncer.

Continua após a publicidade

Entre as doenças raras, mais de sete mil existentes, há uma gama que pode ser tratada por terapia gênica, o que traz esperança para condições antes consideradas sem cura. O diagnóstico rápido é crucial, especialmente para pacientes com doenças raras.

“Há escassez de geneticistas no Brasil, aproximadamente 300, e a complexidade dos laboratórios necessários para decodificação genética”, diz Charles. O médico ressalta que a telemedicina surge como uma solução promissora, facilitando o acesso a diagnósticos e orientações especializadas, principalmente em regiões remotas.

Continua após a publicidade

Adriana destaca que muitas doenças raras possuem sintomas muito parecidos com doenças comuns, “o que pode levar um tempo maior para chegar ao diagnóstico correto, aliado a isso, a falta de testes diagnósticos e a peregrinação desse paciente, às vezes a pessoa falece sem saber”, observa a médica.

O Estúdio News vai ao ar aos sábados, às 22h30. A RECORD NEWS é sintonizada pelos canais de TV fechada 586 Vivo TV, 14 Oi TV, 578 Claro, 419 Sky e 2038 Samsung TV Plus, além do canal 42.1 em São Paulo e demais canais da TV aberta em todo o Brasil.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.