Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Modelo investigada sob suspeita de ser rainha da cocaína na Guatemala ainda exerce cargo de prefeita

Miss 2017 era filha de chefe de cartel e, se for extraditada, poderá pegar de 20 a 40 anos de prisão nos Estados Unidos

Record News|

Investigada pelo governo dos Estados Unidos, suspeita de comandar um esquema internacional de tráfico de drogas, a modelo Isel Aneli Suñiga, de 29 anos, ainda exerce o cargo de prefeita no município de Ayutla, na Guatemala. Seu pai, Erik Suñiga, era chefe do cartel Los Pochos, e morreu de câncer em uma prisão americana, após ser extraditado. Depois de sua morte, Isel, que foi candidata ao Miss Universo em 2017, teria assumido o comando do esquema, que levaria cocaína da Guatemala aos EUA pelo México. O marido da ex-Miss, Juan José Morales Cifuentes, também é investigado, suspeito de coordenar operações de tráfico e executar rivais. Ele foi preso e aguarda extradição.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.