Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Renda Extra
Publicidade

Cheque resiste às tecnologias e movimenta R$ 666,8 bi em 2022

Com inovações como Pix e cartão virtual, uso do meio de pagamento cai 94% em 28 anos; no ano passado, redução foi de 7,3%

Renda Extra|Do R7

Mesmo com tecnologias como o Pix, os cheques ainda são usados
Mesmo com tecnologias como o Pix, os cheques ainda são usados Mesmo com tecnologias como o Pix, os cheques ainda são usados

Tecnologias como o Pix, os bancos digitais e os cartões virtuais transformaram o sistema bancário ao longo dos anos, o que também mexeu com a vida dos clientes. Uma das mudanças foi o abandono gradual do cheque, que já foi um dos principais meios de pagamento do país. Em um período de quase 30 anos, a redução no uso de cheques chega a 94%.

Em 2022, foram compensados 202,8 milhões de cheques, uma queda de 7,3% em relação ao ano anterior. Em 1995, quando teve início a série histórica, esse número foi bem maior: 3,3 bilhões de documentos relativos a esse meio de pagamento foram compensados. Os dados estatísticos têm como base o Compe (Serviço de Compensação de Cheques).

“Atualmente, sete em cada dez transações bancárias no país são feitas pelos canais digitais (internet e mobile banking), reflexo da comodidade, velocidade e segurança oferecidas por esses meios de pagamentos. Soma-se a isso também o Pix, que ao longo de dois anos de funcionamento se consolidou como o meio de pagamento mais utilizado pelos brasileiros”, diz Walter Faria, diretor-adjunto de serviços da Febraban (Federação Brasileira de Bancos).

Apesar da redução do número dos cheques compensados em 2022, o volume financeiro movimentado por meio desses documentos permaneceu estável e passou dos R$ 667 bilhões, registrados em 2021, para R$ 666,8 bilhões no ano passado.

Publicidade

Além disso, o valor médio dos cheques aumentou de um ano para o outro: foi de R$ 3.046,52 em 2021 para R$ 3.257,88 no ano passado.

“Os números mostram que a população está usando o cheque para transações de maior valor, enquanto o Pix é utilizado como meio de pagamento para transações de menor valor, por exemplo, para profissionais autônomos, e também para acertar pequenos débitos familiares ou entre amigos”, afirma Faria.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.