Cliente diz ter sofrido ameaça após denunciar preço de álcool em gel

Farmácia em Magé, na Baixada Fluminense, foi interditada pelo Procon por cobrança abusiva em venda de produto essencial no combate ao coronavírus

Procon interditou farmácia por preço abusivo de álcool em gel

Procon interditou farmácia por preço abusivo de álcool em gel

Record TV

Uma cliente de uma farmácia em Magé, na Baixada Fluminense, registrou uma queixa na 65ª DP (Magé), nesta quarta-feira (25), após relatar ter sofrido ameaças por fazer uma denúncia sobre o preço abusivo na venda de álcool em gel, produto essencial no combate ao novo coronavírus.

RJ registra 8ª morte provocada pelo novo coronavírus

O caso levou o Procon do município a interditar o estabelecimento por tempo indeterminado no início da tarde. A farmácia tem um prazo de 10 dias para recorrer da decisão. 

Em entrevista ao vivo ao Balanço Geral RJ, a cliente, que se identificou como Luisa, disse que se sentiu prejudicada ao comprar um frasco do produto, de cerca de 300 ml, de marca desconhecida por R$ 40.

Revoltada, a mulher acionou o Procon de Magé, que esteve no local para investigar se a responsabilidade da cobrança era do estabelecimento comercial ou do fornecedor. 

Luisa ainda mostrou um vídeo no qual, segundo ela, outro frasco, de cerca de 500 ml, chegou a ser oferecido por R$ 80. No entanto, funcionários negaram que o produto estivesse na área de vendas e que ele seria para uso dos próprios trabalhadores.

Durante a apuração do caso, a consumidora afirmou ter sido ameaçada por um homem que seria o proprietário da farmácia. A Polícia Militar foi chamada e encaminhou a vítima para delegacia. Já o suspeito foi ao local acompanhado de advogado.

Segundo informações da Record TV, os sócios da farmácia podem responder por usura, que é um crime contra a economia popular por prática de preços abusivos.

Além disso, o delegado do caso, Angelo Lages, explicou que o proprietário pode responder também por ameaça, já que o crime ainda está em investigação por falta de testemunhas.  

Mais denúncias

Ao menos outros dois consumidores que assistiram à fiscalização do Procon de Magé na Record TV Rio também retornaram à farmácia com a nota fiscal do produto para pedir a devolução do dinheiro. Eles também afirmaram considerar abusiva a cobrança de R$ 40 pelo frasco de álcool em gel.