Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Justiça aceita denúncia contra casal suspeito de criar 'vaquinha' falsa para criança com câncer

Parentes desconfiaram do padrão de vida exibido pelos acusados na internet. Eles teria conseguido quase R$ 35 mil em doações

Rio de Janeiro|Gabriel Vital*, do R7 com Record

Casal teria arrecadado quase R$ 35 mil com falsa "vaquinha"
Casal teria arrecadado quase R$ 35 mil com falsa "vaquinha" Casal teria arrecadado quase R$ 35 mil com falsa "vaquinha" (Reprodução/RECORD)

A Justiça do Rio de Janeiro aceitou a denúncia do MPRJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) contra um casal suspeito de criar uma falsa campanha de arrecadação na internet para supostamente ajudar uma criança com câncer.

Segundo as investigações, Tainara Ribeiro Subtil e Luiz Antônio dos Santos Barbosa usaram um perfil falso em uma rede social e utilizaram a foto de uma criança na "vaquinha" virtual falsa.

Ainda de acordo com a denúncia, os dois também postaram um laudo médico falsificado, que atestava a doença da menina, para sensibilizar os doadores.

Embora a criança exibida na campanha realmente exista e tenha sido diagnosticada com câncer, ela não tinha vínculo com os acusados.

Publicidade

A farsa foi descoberta após denúncias de parentes Tainara e Luiz Antônio, que desconfiaram do padrão que os dois exibiam na rede social.

Eles conseguiram recolher quase R$ 35 mil em doações, de acordo com informações obtidas pela RECORD.

Publicidade

O casal vai responder pelos crimes de falsificação e uso de documento falso.

MP chama acusados de "criminosos habituais"

O Ministério Público afirmou também que os denunciados são "criminosos habituais" e já atuaram para aplicar golpes da mesma natureza. 

Publicidade

As investigações revelaram que os dois se apropriaram de publicações feitas anteriormente por outra família, que solicitou contribuições para o tratamento de uma criança realmente acometida por uma doença grave.

A promotoria ressaltou ainda que esse tipo de delito pode gerar desconfiança em relação a campanhas legítimas destinadas ao tratamento de pessoas com doenças graves.

*Sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.