Rio de Janeiro MPF investiga operação que terminou com a morte de adolescente no Chapadão, no Rio

MPF investiga operação que terminou com a morte de adolescente no Chapadão, no Rio

Ação policial buscava criminosos responsáveis pela morte de agente da PRF durante assalto na Transolímpica

Lorenzo morreu durante operação

Lorenzo morreu durante operação

Reprodução/Record TV Rio

O MPF (Ministério Público Federal) vai investigar a operação policial que terminou com a morte de um adolescente de 14 anos no Complexo do Chapadão, na madrugada desta sexta-feira (28). A ação buscava criminosos responsáveis pela morte do agente Bruno Vanzan Nunes, na tarde desta quinta (27), durante um assalto na Transolímpica. 

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) tem o prazo de 72 horas para dar detalhes sobre a participação dos agentes na operação, além de documentos e outras informações. Já a Polícia Militar foi intimada a enviar os boletins de ocorrência da ação em até cinco dias. 

O MPF destacou, ainda, que não houve comunicação da PRF sobre a realização da operação e que recentemente decisões judiciais restringiram a atuação da corporação em comunidades. 

A Polícia Rodoviária Federal informou que o adolescente de 14 anos alvejado na ação havia atirado contra os policiais. A Delegacia de Homicídios investiga o caso. 

A família afirmou que Lorenzo Dias Palinhas trabalhava com entrega de lanches na comunidade. Segundo a mãe, Celina Dias Palinhas, o jovem foi baleado após ser parado e liberado por agentes que estavam na operação. Ela afirmou, ainda, ter recolhido o projétil que tirou a vida do filho e pediu que seja feita justiça. A morte do adolescente gerou protestos na região. 

Últimas