Rio de Janeiro Polícia descobre que Ecko forneceu 100 fuzis para criminosos do RJ

Polícia descobre que Ecko forneceu 100 fuzis para criminosos do RJ

Caderno com anotações de contabilidade do miliciano está sendo analisado pelo setor de inteligência da Draco

  • Rio de Janeiro | Do R7, com Record TV

A Polícia Civil encontrou nas anotações da contabilidade do miliciano mais procurado do Estado, Wellington da Silva Braga, o Ecko, que foi morto em uma operação no último sábado (12), que o criminoso emprestou cerca de 100 fuzis para organizações criminosas espalhadas pelo Rio de Janeiro. 

Ecko foi morto durante operação

Ecko foi morto durante operação

Divulgação Polícia Cívil do RIO de Janeiro

O caderno do miliciano está sendo analisado pelo setor de inteligência da Draco (Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas). Os agentes de segurança também investigam os criminosos que foram citados nas anotações.

“Uns já eram investigados pela Draco, inclusive possuem mandados de prisão, que nós vamos tentar capturar nos próximos dias”, afirmou o delegado Willian de Medeiros Pena Júnior.

O delegado também informou que o setor de inteligência analisa informações sobre invasões em áreas que eram dominadas pela organização criminosa do Ecko.

A polícia trabalha com três possíveis cenários, sendo que dois deles estão ligados à retomada de territórios pelo miliciano Tandera ou pela facção criminosa do tráfico de drogas que foi expulsa por Ecko há cerca de quatro anos. A terceira possibilidade seria a escolha de um sucessor na chefia da milícia.

Últimas